Definição de transporte: uma reflexão sobre a natureza do fenômeno e objeto da pesquisa e ensino em transportes

Marcos Thadeu Queiroz Magalhaes, Joaquim José Guilherme de Aragão, Yaeko Yamashita

Resumo


O que é o transporte? Quais seus caracteres distintivos? O que é um sistema e, mais especificamente, um sistema de transportes? É possível formalizar definições sobre esses aspectos? Com vistas a tornar mais claro o objeto do da pesquisa e ensino em transportes, o presente artigo parte dessas questões como elementos motivadores, na tentativa de prover novos elementos para essa reflexão. E, nesse sentido, traz para a discussão sobre transporte teorias ainda pouco exploradas, mas de grande fecundidade, para a busca de um arcabouço teórico robusto e definições mais claras. Nesse âmbito, apresenta-se a teoria de sistemas de Mario Bunge, e desenvolve-se reflexões sobre a noção de transporte, sistemas, sistemas
de transporte, seus caracteres distintivos e implicações acerca dos métodos para a devida abordagem desses fenômenos.


Palavras-chave


Transportes. Sistema de Transporte. Definição. Teoria de Sistemas. Mario Bunge.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDLER, Daniel; FAGOT-LARGEAULT, Anne; SAINT-SERNIN,

Bertrand. (2005) Filosofia da Ciência. Volume II. Rio de Janeiro: Atlântica.

BRASIL - MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES (2007). Metodologia

Integrada de Suporte ao Planejamento, Acompanhamento e Gestão dos

Programas Nacionais de Transporte (Projeto Indicadores) – Relatório

Síntese. Brasília: Ministério dos Transportes/SEGES – Universidade de

Brasília/CEFTRU.

BUNGE, Mario A. (1977) Treatise on Basic Philosophy - Ontology I:

The Furniture of the World. Dordrecht: D. Reidel Publishing Company.

BUNGE, Mario A. (1979) Treatise on Basic Philosophy - Ontology II:

A World of Systems. Dordrecht: D. Reidel Publishing Company.

HAY, William W (1977). An Introduction to Transportation Engineering.

ed. New York: John Wiley&Sons.

HENSHER, David; BUTTON, Kenneth. (2005) Handbook of Transport

Modelling. Oxford: Elsevier.

HOUAISS, A; VILLAR, M. de S.; FRANCO, F. M. de. (2001) Dicionário

Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva.

MAGALHÃES, Marcos T. Q. (2010). Fundamentos para a Pesquisa em

Transportes: Reflexões Filosóficas e Contribuição da Ontologia de Bunge. Tese de Doutorado em Transportes. Brasília: Universidade de

Brasília.

MAGALHÃES, M. T. Q., SILVEIRA, L. S., GALINDO, E. P., GOMES,

H. A. S., VILLELA, T. M., YAMASHITA, Y., ARAGÃO, J. J.

G. (2007). Teleological Framework for Transport Planning and Evaluation:

A Tool in the Search for Integrated and Meaningful Solutions for

Better Results. Proceedings of the Thredbo 10 – International Conference

on Competition and Ownership of Land Passenger Transport.

MELLO, José C. (1975) Planejamento dos Transportes. São Paulo:

McGraw-Hill do Brasil.

MORLOCK, Edward K. (1978) Introduction to Transportation Engineering

and Planning. Tóquio:McGraw-Hill.

MUMFORD, Lewis. (1998) A Cidade na História: suas origens, transformações e perspectivas. Tradução Neil R. da Silva. São Paulo: Martins Fontes.

PAPACOSTAS, C. S.;PREVEDOUROS, P. D. (1993) Transportation

Engineering and Planning. Englewood Cliffs: Prentice Hall.

STOPHER, Peter R.; GREAVES, Stephen P. (2007) Household Travel

Surveys: Where are we going? In: Transportation Research Part A: Policy

and Practice. Volume 41, Issue 5, p.361-381, Science Direct.

doi:10.1016/j.tra.2006.09.005

SUSSMAN, Joseph (2000). Introduction to Transportation Systems.

Norwood: Artech House.




DOI: http://dx.doi.org/10.14295/transportes.v22i3.655

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2014 TRANSPORTES



TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é uma publicação da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes (www.anpet.org.br)