As companhias aéreas embutiam o custo da franquia de bagagem nos preços das passagens? Modelo econométrico de precificação no transporte aéreo

Autores

  • Ana Carla Fernandes Costa Instituto Tecnológico de Aeronáutica, São Paulo - Brasil
  • Alessandro V. M. Oliveira Instituto Tecnológico de Aeronáutica, São Paulo - Brasil http://orcid.org/0000-0002-5398-2787

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v29i1.2045

Palavras-chave:

Franquia de bagagem, Modelo econométrico, Precificação, Transporte Aéreo

Resumo

O objetivo deste trabalho é estudar a precificação das companhias aéreas brasileiras, com o objetivo de testar empiricamente o papel do custo com a franquia de bagagem na formação de preços do setor. Para isolar o efeito sob investigação em um modelo econométrico, foi utilizada uma amostra com dados das rotas domésticas brasileiras no período anterior à recente medida de desregulamentação que extinguiu a obrigatoriedade da franquia mínima de bagagem. Por meio do estimador de efeitos fixos two way, foi possível estimar a variável yield (preço médio por passageiro-quilômetro na rota) como uma função de variáveis de produção, custos, concorrência e poder de mercado, além da variável indicativa da bagagem. Foram obtidas evidências de que a franquia de bagagem era um serviço que vinha sido cobrado de forma implícita nas passagens aéreas emitidas por companhias aéreas nacionais no período analisado. Estimou-se uma possível redução média de longo prazo de até 6% nos preços das passagens aéreas de voos domésticos após a reforma regulatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Allon, G.; A. Bassamboo, e M. A. Lariviere (2011) Would the social planner let the bags fly free? Documento de Trabalho, Kel-logg School of Management, Evanston, IL, USA. DOI: 10.2139/ssrn.1919807.

Agência Nacional de Aviação Civil (2010) Relatório Yield-Tarifa: Junho. Brasília, DF.

Agência Nacional de Aviação Civil (2016) Resolução N˚400, de 13 de Dezembro de 2016. Sobre as Condições Gerais de Transporte Aéreo. Brasília, DF.

Associação Brasileira de Empresas de Transporte Aéreo Regional – ABETAR (2007) Anuário Estatístico. São José dos Campos, SP.

Barone, G. J.; K. E. Henrickson, e A. Vov (2012) Baggage fees and airline performance: A case study of initial investor misper-ception. Journal Transportation Research Forum, v. 51, n. 1, p. 5-18. DOI: 10.5399/osu/jtrf.51.1.2796.

Carey, S. (2008) Another reason not to overpack. Wall Street Journal, 5 de fevereiro.

Hamilton, R.; J. Srivasta e A. T. Abraham (2010) When should you nickel-and-dime your customers? MIT Sloan Management Review, v. 52.

Henrickson, K. E. e J. Scott (2012) Baggage fees and changes in airline ticket prices. Peoples J, ed. Advances in Airline Econom-ics, Pricing Behaviour and Non-Price Characteristics in the Airline Industry, v. 3, Bradford, UK: Emerald Group Publishing Limited, 177-192. DOI: 10.1108/S2212-1609(2011)0000003010.

Hill, R. C.; W. E. Griffiths e G. C. Lim (1999) Principles of Econometrics, Hoboken: John Wiley & Sons.

Kotler, P. (2000) Administração de Marketing, 10 ed., São Paulo: Prentice Hall.

Lariviere, M. (2011) Southwest Airlines: Do free bags create problems? Disponível em: <https://pomsblog.wordpress.com/category/martin-lariviere/> (acesso em 23/09/2019).

McCartney, S. (2008) Space race: A battle looms for the overhead bins. Wall Street Journal, 17 de junho.

McCartney, S. (2012) The tough tactics to avoid luggage check-in fees. Wall Street Journal, 2 de fevereiro.

McCartney, S. (2014) Baggage claim: Airlines are winning the war on lost luggage. Wall Street Journal, 4 de junho.

Nicolae, M.; M. Arikan e M. Ferguson (2016) Do bags fly free? An empirical analysis of the operational implications of airline baggage fees. Management Science, v. 63, n. 10, p. 3147-3529. DOI: 10.1287/mnsc.2016.2500.

Wooldrigde, J. M. (2002) Introdução à Econometria: Uma abordagem moderna. São Paulo: Thomson., p. 131-259.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Costa, A. C. F., & Oliveira, A. V. M. (2021). As companhias aéreas embutiam o custo da franquia de bagagem nos preços das passagens? Modelo econométrico de precificação no transporte aéreo. TRANSPORTES, 29(1), 17–28. https://doi.org/10.14295/transportes.v29i1.2045

Edição

Seção

Artigos