Efeitos da prática de tanqueamento na segurança das operações aéreas: o caso da aviação geral

Autores

  • Reinaldo Moreira Del Fiaco Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro – Brasil https://orcid.org/0000-0001-6475-1426
  • Camila Maestrelli Leobons Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro – Brasil
  • Wesley Braytiner de Souza Silva Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro – Brasil
  • Paulo Afonso Lopes da Silva Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v29i4.1730

Palavras-chave:

Segurança de voo, Tanqueamento, Otimização, Fator humano.

Resumo

O gasto de combustível representa a maior parcela do custo operacional na aviação, e a sua falta, ou pane seca, é um dos fatores que mais contribuem contribuintes para os acidentes aeronáuticos. O presente trabalho tem o objetivo de desenvolver um modelo de programação não linear para minimizar o custo total com abastecimento por meio da prática de tanqueamento, observando as restrições de regra de voo, operacionais e físicas da aeronave. Foi realizada uma simulação de quatro voos para encontrar qual a quantidade de combustível a ser abastecida em cada etapa, e o resultado mostrou uma economia de 1,7% quando comparado com o abastecimento mínimo necessário para a quantidade regulamentar. A partir deste estudo, aplicativos online podem ser desenvolvidos para facilitar a inserção dos dados necessários e simplificar os processos envolvidos no planejamento de voos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Reinaldo Moreira Del Fiaco, Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro – Brasil

Ms.C. Engenharia de Transportes - IME; Bacharel em Ciências Aeronáuticas, PUC GO.

Referências

ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil. (2017). Requisitos para Concessão de Certificados Médicos Aeronáuticos. Regula-mento Brasileiro da Aviação Civil – RBAC n° 67. Emenda n° 01. Brasília. Disponível em: <https://goo.gl/WTa6WW>. Aces-sado em 11/06/2018.

Areosa, J. (2007). As percepções de riscos dos trabalhadores: conhecimento ou literário. Colóquio Internacional de Segurança e Higiene Ocupacionais – SHO2007. Guimarães, Universidade do Minho, pp. 131-134

Bala, I.; Sharma, S.K.; Kumar, S.; Shrivastava, R. (2014) Exploring Safety Aspects of Aviation Industry. ADVANCES IN AERO-SPACE SCIENCE AND APPLICATIONS, v. 4, n.1, p.37-44.

Brasil, (1986). Código Brasileiro de Aeronáutica. Lei n° 7.565, de 19 de dezembro de 1986. Brasília, Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil.

Brasil, (1991). Manual do Curso Piloto de Linha Aérea – Avião (PLA-A) - MMA 58-7. Portaria DGAC N° 207/DGAC, Departa-mento de Aviação Civil, 25 de jun. de 1991.

Brasil, (2017). Plano de Voo. Instrução do Comando da Aeronáutica que aprova a reedição da ICA 100-11, que regulamenta o uso do “Plano de Voo”. Brasília, Comando da Aeronáutica.

Brasil, (2016). Regras do Ar. Instrução do Comando da Aeronáutica que estabelece as “Regras do Ar”. Brasília, Comando da Aeronáutica.

Boeing (2004). Fuel Conservation: Flight Operations Engineering. Boeing Commercial Airplanes. Disponível em https://goo.gl/pEzV2m. Acessado em 10/06/2018.

Boeing (2007). Fuel Conservation Strategies: Cost Index Explained. Flight Operations. Disponível em https://goo.gl/bxKYvA. Acessado em 10/06/2018.

Boyde, D.D. (2015). Causes and Risk Factors for Fatal Accidents in Non-commercial Twin Engine Piston General Aviation Aircraft. ACCIDENT ANALYSIS AND PREVENTION. v.77. p.113-119. DOI: 10.1016/j.aap.2015.01.021

Boyde, D.D. (2016). GA Accidents related exceedance of airplane weight center of gravity limits. Elsevier. ACCIDENT ANAL-YSES AND PREVENTION. v. 91. p.19-23. DOI: 10.1016/j.aap.2016.02.019

CENIPA – Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. Aviões – Sumário estatístico 2008 - 2017. Brasília, Força Aérea Brasileira, p.61. Disponível em: <https://goo.gl/h6x6KE>. Acessado em 11/06/2018.

Cintra, N.M.; Machado, H.C. (2016). A Representação Social dos Aspectos Comportamentais e Legais na Aviação Geral. IX Sim-pósio de Segurança de Voo. Revista Conexão SIPAER – Revista Científica de Segurança de Voo, v.7, n.1, p. 4-13.

Ducut, J. R. (2011). Integrating Safety into Operations – A Systems-Thinking Approach. Technical Guide. University of California Risk Summit 2011. Disponível em: <http://ehs.ucr.edu/safety/systems>. Acessado em 11/06/2018.

FAA. FEDERAL AVIATION ADMINISTRATION. (2006). Introduction to Safety Management Systems for Air Operators (AC 120- 92). Washington: Ed. Government Printing Office. Disponível em https://goo.gl/hJiucf. Acessado em 10/06/2018.

Fernandes, H. F., Alves, C. J. P., Oliveira, A. V. M. (2014). Estudo dos Efeitos de Aumentos no Custo do Combustível na Demanda por Transporte Aéreo Doméstico. TRANSPORTES, v.22, n. 3. DOI: 10.14295/transportes.v22i3.810

Fiaco, R. M. D., Fonseca, B. C., Silva, R. B., Gois, T. C., Melo, L. S. B. (2015). Analysis of Occupational Risks in the Pilot Function: Applied to the Safety Management System. Anais do V Congresso Brasileiro de Engenharia de Produção. APREPRO: Ponta Grossa. DOI: 10.13140/RG.2.1.3528.6643

Filippone, A. (2015). Fuel Tankering: Is it worth it? Case of Study. Aero-AD-UNIMAN. v. 7.4.5, i.8.

Fregnani, J. A. T. G. (2007). Um modelo para minimização dos custos totais de abastecimento considerando as múltiplas esca-las das aeronaves nas rotas de uma empresa aérea brasileira. 2007. 363 f. Dissertação (Mestrado). Instituto Tecnológico da Aeronáutica. São José dos Campos.

Fregnani, J.A.T., Müller, C., Correia, A.R. (2013). A fuel tankering model applied to a domestic airline network. JOURNAL OF ADVANCED TRANSPORTATION. v.37, p.386-398. DOI: 10.1002/atr.6 162

Gabriel, T. M. L. (2009). Optimização da posição do centro de gravidade de um avião comercial para minimização do consumo de combustível. 42f. Dissertação (Mestrado). Universidade da Beira Interior. Covilhã, Portugal.

GRIAA – Grupo de Investigación de Accidentes. Informe Final Accidente. (2017). COL-16-37-GIA. Agotamento de Combustíble AVRO 146-RJ85, Matrícula CP 2933, 29 de novembro de 2016. La Unión, Antioquia. Disponível em https://goo.gl/fCxEbq. Acessado em 11/06/2018.

Lima, G.P.V.; Silva, T.A. (2016). Fatores Humanos no Gerenciamento da Segurança Operacional. Conexão SIPAER, REVISTA CIENTÍFICA DE SEGURANÇA DE VOO, v.7, n.1, p.13-24.

Murata, A. Moriwaka, M. (2017). Anomaly in Safety Management: Is it constantly possible to make safety compatible with econ-omy? Advances in Intelligent Systems and Computing, v. 604, p. 45-54. DOI 10.1007/978-3-319-60525-8_6

Orasanu, J., Martin, L., Davison, J. (2009). Cognitive and Contextual Factors in Aviation Accidents: Decision Errors. Chapter of the book: Linking Expertise and Naturalistic Decision Making. Psychology Press: Taylor & Francis Group, New York.

Piper Aircraft Corporation (1981) Pilot’s Operation Handbook. 1999 kg, SENECA III PA 34-220T. Disponível em http://www.rebay.at/fliegen/manuals/pa34_seneca_3_manual.pdf. Acessado em 25/04/2016.

Ross, D. L., Bazargan, M. (2004) A comparative risk measure for general aviation. International Society on MCDM: Whistler.

Stolzer, A.J. (2002). Fuel Consumption Modeling of a Transport Category Aircraft Using Flight Operations Quality Assurance Data: A literature review. JOURNAL OF AIR TRANSPORTATION, v. 7, n. 1, p. 93-102.

Stolzer, A. J., Halford, C. D., Goglia, J. J. (2015). Safety Management Systems in Aviation. 2nd ed. United Kingdom: Ashgate Publishing.

Stroup, J.S., Wollmer, R.D. (1992). A Fuel Management Model for the Airline Industry. OPERATIONS RESEARCH, v. 40, n. 2, p.229-237. DOI: http://dx.doi.org/10.1287/opre.40.2.229

TAM. (2008). Manual Geral de Operações. v. 5. Flight Standards. São Paulo.

Downloads

Publicado

28-10-2021

Como Citar

Del Fiaco, R. M., Maestrelli Leobons, C. ., Braytiner de Souza Silva, W. ., & Lopes da Silva, P. A. . (2021). Efeitos da prática de tanqueamento na segurança das operações aéreas: o caso da aviação geral . TRANSPORTES, 29(4), 1730. https://doi.org/10.14295/transportes.v29i4.1730