A utilização de jogos como ferramenta de aprendizagem do ensino da disciplina de materiais betuminosos

Letícia Sousa de Oliveira, Suelly Helena de Araújo Barroso, Jorge Barbosa Soares

Resumo


Os jogos em sala de aula servem como atividade para melhorar e incentivar a aprendizagem do aluno, tornando-o mais ativo em sala e permitindo uma melhor fixação do conhecimento transmitido. Este artigo propõe a utilização de jogos como ferramenta de aprendizagem da disciplina de Materiais Betuminosos, do Curso de Engenharia Civil da Universidade Federal do Ceará para proporcionar aos alunos maior absorção do conhecimento. Foi proposto um jogo de tabuleiro em que os temas abordados foram asfaltos, asfaltos modificados, emulsões asfálticas, agregados e misturas asfálticas. Para avaliar o estilo de aprendizagem dos alunos e professor foi aplicado o Índice de Estilos de Aprendizagem e para analisar a eficiência do jogo foi desenvolvido um questionário baseado nas competências e habilidades exigidas pelo Conselho Nacional de Educação. Verificou-se o potencial do jogo em proporcionar motivação, aprendizagem, armazenamento do conhecimento e o desenvolvimento de algumas habilidades requeridas na área de Engenharia Civil.


Palavras-chave


Ensino, Aprendizagem, Jogos, Engenharia Civil.

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, L. e M. A. Bianchin (2010) O Jogo Como Recurso de Aprendizagem. Revista Psicopedagogia. São José do Rio Preto – SP, v. 27, n. 83, p. 282-287. ISSN 282-287.

Ammar, S. e R. Wright (1999) Experiential Learning Activities in Operations Management. International Transactions in Operational Research, v. 6, n. 2, p. 183-197. DOI: 10.1111/j.1475-3995.1999.tb00150.x.

Au, T.; R. Bostleman e E. Parti (1969) Construction Management Game – Deterministic Model. Jornal of the Construction Divi-sion, ASCE, v. 95, n. 1, p. 25-38.

Baker, A.; E. O. Navarro e A. van der Hoek (2005) An Experimental Card Game for Teaching Software Engineering Process-es. Journal of Systems and Software, v.75, p. 3-16. DOI:10.1016/j.jss.2004.02.033.

Balceiro, L. B.; R. M. Naveiro e H. V. MEDINA (2003) A Criação de um Jogo Pedagógico para Apoio ao Ensino de Engenharia. Anais do XXXI Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, COBENGE, Rio de Janeiro v. 1. p. 1-8.

Belhot, R. V.; A. A. Freitas e D. V. Dornellas (2005) Benefícios do Conhecimento dos Estilos de Aprendizagem no Ensino de Engenharia de Produção. XXXIII Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, COBENGE, Campina Grande - PB.

Braga, A. J.; M. M. Araújo; S. R. S. Vargas e A. Lemes (2007) Uso dos Jogos Didáticos em Sala De Aula. X Seminário Intermunicipal de Pesquisa; VIII Salão de Iniciação Científica e Trabalhos Acadêmicos e V Mostra de Atividades Extensionistas e Projetos Sociais. Universidade Luterana do Brasil, Unidade Guaíba. Tema Cultura e Diversidade.

Braghirolli, L. F. (2014) Aprendizagem por Jogo Computacional na Engenharia de Produção. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre – RS.

Cury, H. N. (2000) Estilos de Aprendizagem de Alunos de Engenharia. XXVIII Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, COBENGE, Ouro Preto - MG.

De Melo, I. R. P. (2012) O uso de jogos eletrônicos como ferramenta de ensino: um estudo da suíte de jogos GCOMPRIS. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal do Amapá. Macapá – AP.

Felder, R. M. e B. A. Soloman (1991) Index of Learning Styles (ILS).

Felder, R. M. e L. K. Silverman (1988) Learning and Teaching Styles in Engineering Education. Engineering Education, v. 78, n. 7, p. 674-681. ISSN 674-681.

García, D. S. P.; A. T. Nodari; J. F. Albano; M. C. Wandscheer; F. F. F. Dos Santos; C. L. Andriola; C. P. Demore e T. K. Lanes (2017) Projeto Ponto de Partida: O Ensino de Projetos de Rodovias Através de Uma Abordagem Lúdico-Real-Didática. Revista Transportes, Rio de Janeiro, v. 25, n. 3, p. 135-165. DOI:10.14295/transportes.v25i3.1327.

Kuri, N. P. (2004) Tipos de Personalidade e Estilos de Aprendizagem: Proposições para o Ensino de Engenharia. Tese (Doutorado). Universidade Federal de São Carlos. São Carlos.

Kuri, N. P.; A. N. Rodrigues da Silva e M. A. Pereira (2006) Estilos de Aprendizagem e Recursos da Hipermídia Aplicados no Ensino de Planejamento de Transportes. Revista Portuguesa de Educação, 2006, v. 19, n. 2, p. 111-137. ISSN 111-137.

Lane, D. (1995) On a Resurgence of Management Simulations and Games. Journal of the Operational Research Society, v. 46, n. 5, p. 604-625. DOI:10.1057/jors.1995.86.

Lima, C. D. A e R. A. Melo (2013) Jogos Educativos para Estradas e Transportes. Anais do XXVII ANPET – Congresso de Pesquisa e Ensino em Transporte, ANPET, Rio de Janeiro, v.1, p. 1-12.

MEC - Ministério da Educação (2001) Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Engenharia. Parecer CES 1.362/2001, homologação publicada no DOU 25/02/2002, Seção 1, p. 17. Resolução CES/CNE 11/2002, publicada no DOU 09/04/2002, Seção 1, p. 32. Brasília – DF.

Ozelkan, E. e A. Galambosi (2010) Lampshade Game for Lean Manufacturing. Production Planning & Control: The Management of Operations, v. 20, n. 5, p. 385-402. DOI:10.1080/09537280902875419.

Pereira, M. A. (2005) Ensino-Aprendizagem em um Contexto Dinâmico: O Caso de Planejamento de Transportes. Tese (Doutorado). Escola de Engenharia de São Carlos – USP. São Carlos.

Pereira, M. A.; N. P. Kuri e A. N. Rodrigues da Silva (2004) Os Estilos de Aprendizagem e o Ensino de Engenharia de Transpor-tes. XVIII Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes, ANPET, Florianópolis, v.1, p. 1529-1540.

Sacks, R.; A. Esquenazi e M. Goldin (2007) LEAPCON: Simulation of Lean Construction of High-Rise Apartment Buildings. Journal of Construction engineering and management, v. 133, n. 7, p. 529-539. DOI:10.1061/(ASCE)0733-9364(2007)133:7(529).

Savi, R.; C. G. V. Wangenheim; V. R. Ulbricht e T. Vanzin (2010) Proposta de um Modelo de Avaliação de Jogos Educacionais. RENOTE. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 8, n. 3, p. 1-10. ISSN 1679-1916.

Silva Junior, C. A. P.; H. B. Fontenele e A. N. R. Da Silva (2013) Estilo de ensino versus estilos de aprendizagem no processo de ensino aprendizagem: uma aplicação em Transportes. Revista Transportes, v. 21, n 2, p. 30-37. DOI:10.4237/transportes.v21i2.686.

Silva, M. S. (2005) Clube da matemática: Jogos Educativos (2ª ed). Editora Papirus, Campinas – SP.

Silveira, S. R. e D. A. C. Barone (1998) Jogos Educativos Computadorizados Utilizando a Abordagem de Algoritmos Genéticos. IV RIBIE - Congresso da Rede Iberoamericana de Informática Educativa, Brasília, p. 1-13.

Siqueira, A. M. O.; A. L. M. F. Feijó; L. H. F. Prates e G. M. C. Pereira (2013) Estilos de Aprendizagem e Estratégias de Ensino em Engenharia. Eleventh LACCEI Latin American and Caribbean Conference for Engineering and Technology, Cancun, México.

Siqueira, A. M. O.; L. H. F. Prates; I. O. D. Paula; A. O. Andrade e W. R. M. Araújo (2012) Estilos de Aprendizagem e Estratégias de Ensino em Engenharia. XL Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, COBENGE, Belém - PA.

Soares, M. H. F. B. (2008) Jogos e Atividades Lúdicas no Ensino de Química: Teoria, Métodos e Aplicações. XIV Encontro Nacional De Ensino De Química, ENEQ, Curitiba.

Song, Q.; L. He e X. Hu (2012) To Improve the Interactivity of the History Educational Games with Digital Interactive Storytel-ling. Physics Procedia, n. 33, p. 1798-1802. ISSN 1875-3892.

Souza-Lomba, F. C. M.; T. R. Assis; F. G. Costa; G. M. L. Martins e F. C. Frasson-Costa (2010) Avaliação da Aprendizagem por Meio do Jogo Didático “Jogando Limpo”, nas Aulas de Ciências. 2º CIEPG - Congresso Internacional de Educação, Ponta Grossa, p. 1-14.

Tapia, J. A. e E. C. Fita (2015) A Motivação em Sala de Aula: O Que é, Como Se Faz (11ª ed). Editora Loyola, São Paulo.

Vasconcelos, E. S.; J. P. Silva; T. S. Moreira; K. L. Cézar; M. L. B. Santos e J. G. F. Lorenzo (2012) Jogos: uma forma lúdica de ensi-nar. Anais do VII Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica, CONNEPI, Palmas.

Verschueren, F. e N. Mardjan (2015) Educational Gaming is an Inspirational New Possibility for Authentic Lear-ning. Physiotherapy, v. 101, n. 1, p. 1588-1589. DOI:10.1016/j.physio.2015.03.1595.

Zanon, D. A. V.; M. A. S. Guerreiro e R. C. Oliveira (2008) Jogo Didático Ludo Químico Para o Ensino de Nomenclatura dos Compostos Orgânicos: Projeto, Produção, Aplicação e Avaliação. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 72-81. ISSN 1806-5821.




DOI: https://doi.org/10.14295/transportes.v27i2.1664

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Letícia Sousa de Oliveira, Suelly Helena de Araújo Barroso, Jorge Barbosa Soares

TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é uma publicação da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes (www.anpet.org.br)

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.