A interferência do módulo de resiliência do concreto asfáltico no período de projeto de pavimentos rodoviários

Erico Aliaga Cavaleiro, Francisco Heber Lacerda de Oliveira

Resumo


Os pavimentos rodoviários são dimensionados para atender uma determinada vida útil em função dos materiais e do tráfego. A análise mecanicista prevê que o Módulo de Resiliência do Concreto Asfáltico será constante ao longo de sua vida útil, fato divergente ao encontrado na literatura, ao envelhecimento natural do ligante e às condições climáticas. Neste artigo foi possível constatar, por meio de uma verificação teórico-mecanicista, que pavimentos asfálticos dimensionados para tráfegos moderado, pesado ou muito pesado, independente da capacidade de suporte do subleito, podem perder até 78% da sua vida útil a partir do terceiro ano de operação se o Módulo de Resiliência do Concreto Asfáltico obedecer a uma tendência decrescente, e um ganho de até 172% para uma tendência crescente. Desse modo, constata-se a importância de se desenvolver modelos de desempenho que considerem os fatores que interferem no comportamento do Concreto Asfáltico para que se possa elaborar projetos mais racionais.


Palavras-chave


Dimensionamento, Vida Útil, Módulo de Resiliência, Desempenho.

Texto completo:

PDF

Referências


Balbo, J. T. (2007) Pavimentação asfáltica: materiais, projetos e restauração. São Paulo: Oficina de Textos.

Balbo, J. T. (2009) Pavimentos de concreto. São Paulo: Oficina de Textos.

Beer, F. P. e Johnston Junior, E. R. (1995) Resistência dos materiais. 3. ed. São Paulo: Makron Books.

Bernucci, L. B., Motta, L. M. G., Ceratti, J. A. C e Soares, J. B. (2008) Pavimentação asfáltica: formação básica para engenheiros. Rio de Janeiro: Petrobrás; Abeda.

Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo (2006) Projeto de Pavimentação. DER. IP-DE-P00/001. São Paulo.

Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (1994) Solos – determinação do Índice de Suporte Califórnia utili-zando amostras não trabalhadas – método de ensaio. ME 049. DNIT. Rio de Janeiro: IPR.

Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (2006). Manual de pavimentação. 3. ed. DNIT. Rio de Janeiro: IPR.

Magalhães, S. T. (2004) Misturas Asfálticas de Módulo Elevado para Pavimentos de Alto Desempenho. Dissertação (Mestrado) - COPPE - UFRJ, Rio de Janeiro.

Rohde, L. (2007) Estudo de Misturas Asfálticas de Módulo Elevado para Camadas Estruturais de Pavimentos. Tese (Doutorado) - UFRGS - Rio Grande do Sul.

Senço, W. (1997) Manual de Técnicas de Pavimentação. São Paulo: Pini.

Severi, A. A., Balbo, J. T. e Rodolfo, M. P. (1998) Conceitos mecanicistas básicos sobre pavimentos asfálticos. São Paulo: Universi-dade de São Paulo – USP.




DOI: https://doi.org/10.14295/transportes.v26i1.1456

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 Erico Aliaga Cavaleiro, Francisco Heber Lacerda de Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é uma publicação da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes (www.anpet.org.br)

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.