Avaliação ambiental da utilização de solo contaminado por derivados de petróleo (SCDP) em misturas asfálticas

Autores

  • Victor Mosca de Carvalho Araujo Universidade Federal do Ceará, Departamento de Engenharia de Transportes, Laboratório de Mecânica dos Pavimentos
  • Verônica Teixeira Franco Castelo Branco Universidade Federal do Ceará, Departamento de Engenharia de Transportes, Laboratório de Mecânica dos Pavimentos
  • Danielle Monteiro de Lima Universidade Federal do Ceará, Instituto de Ciências do Mar
  • Rivelino Martins Cavalcante Universidade Federal do Ceará, Instituto de Ciências do Mar

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v24i2.961

Palavras-chave:

Avaliação Ambiental, Misturas Asfálticas, Solo Contaminado por Derivados de Petróleo

Resumo

Com a necessidade de uma destinação final mais adequada a vários resíduos, a utilização destes na pavimentação surge como uma alternativa viável. O presente estudo investiga a viabilidade técnica e ambiental da utilização de Solo Contaminado por Derivados de Petróleo (SCDP) em misturas do tipo Areia Asfáltica (AA) usinadas à quente com adição de 30% em massa de SCDP, com e sem utilização da cal. As misturas asfálticas foram dosadas através da metodologia Superpave. Os materiais componentes das misturas asfálticas foram analisados através de ensaios convencionalmente requeridos pelas especificações do DNIT e através dos seguintes ensaios: (i) fluorescência por Raio-X, (ii) lixiviação (NBR – 10.005), e (iii) solubilização (NBR – 10.006). As amostras com resíduos foram avaliadas de três formas: puras, a partir de misturas asfálticas no estado solto, e a partir da água obtida após a percolação desta em Corpos de Provas (CPs) de misturas asfálticas com 30% de resíduo incorporado em massa. As misturas asfálticas foram caracterizadas mecanicamente por meio dos ensaios de módulo de resiliência, resistência à tração e vida de fadiga. A partir dos resultados encontrados nos ensaios mecânicos e ambientais, o uso do SCDP como componente de misturas do tipo AA se mostra como uma opção viável, pois, além desta mistura asfáltica ter apresentado propriedades mecânicas aceitáveis, a solução foi considerada ambientalmente aceitável e menos onerosa se comparada aquela comumente adotada pelas refinarias geradoras do resíduo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AHRENS, M.J.; DEPREE,V.V. (2010) A Source Mixing Model to Apportion PAHs from Coal Tar and Asphalt Binders in Street Pavements and Urban Aquatic Sediments. Chemosphere 81.

ALDIGUERI, D.R, PARENTE, E.B., SOARES, J.B. (2004) Estudo da Aplicabilidade de Solo Contaminado por Derivados de Petróleo como Material para Revestimento de Vias de Baixo Volume de Tráfego. XVII ANPET. Florianópolis, SC.

ANTUNES, F.F.L, CASTELO BRANCO, V.T.F., SOARES, J.B. (2010) Avaliação dos Impactos Ambientais Causados pela Utilização de Rejeitos em Misturas Asfálticas. 20o Encontro de Asfalto. Rio de Janeiro, RJ.

BERNUCCI, L.B.; MOTTA, L.M.G.; CERATTI, J.A.P.; SOARES, J.B. (2007) Pavimentação Asfáltica: Formação Básica para Engenheiros. 1. ed. Rio de Janeiro, RJ.

BEZERRA, M.F., PATRÍCIO L.S., FILHO F.J.N.S., OLIVEIRA A.H.B, CAVALCANTE R.M. (2012) Experimento Didático Abordando a Importância da Validação Metodológica no Estudo da Química do Sulfato no Meio Ambiente.

BRANTLEY, A.S.; TOWNSEND, T.S. (1999) Leaching of Pollutants from Reclaimed Asphalt Pavement. Environmental Engineering Science, 16.

CAVALCANTE, F.C.I.T. (2010) Investigação do Emprego de Solo Contaminado por Derivados de Petróleo em Camadas Granulares de Pavimento. Universidade Federal do Ceará. Monografia. Fortaleza, CE.

CAVALCANTE R.M., SOUSA F.W., NASCIMENTO R.F., SILVEIRA E.R., FREIRE G.S.S. (2009) The Impact of Urbanization on Tropical Mangroves (Fortaleza, Brazil): Evidence from PAH Distribution in Sediments. J Environ Manage 91.

CONAMA (2005) Conselho Nacional do Meio Ambiente . Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Ministério do Meio Ambiente, 23p.

CORDEIRO, J.F.S. (2007) Estabilização Química e Solidificação do Resíduo Oleoso Gerado nas Atividades de E&P de Petróleo, com Solo para Uso em Camadas de Bases e/ou Sub-Bases de Pavimentos Rodoviários. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Campina Grande. Campina Grande, PB.

ESTEVES, F.A. (1998) Fundamentos de Limnologia. 2ª Ed. Rio de Janeiro Interciência/ FINEP, 602 p.

FARIAS, E.R. (2005) A Utilização de Misturas Solo/Cinza Pesada na Pavimentação – Análise de Aspectos de Comportamento Mecânico e Ambiental. Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado. Florianópolis, SC.

FRANCISCO, J.L., FRANÇA, K.C. (2007) Dossiê Técnico: Métodos de Tratamento de Resíduos de Petróleo. Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro – REDETEC. Rio de Janeiro, RJ.

FAURE, P.; LANDAIS, P.; SCHLEPP, L.; MICHELS, R. (2000) Evidence for Diffuse Contamination of River Sedimentsby Road Asphalt Particles. Environmental Science and Technology 34.

HEINECK, K.L., CONSOLI N.C, CRUZ, R.C., KNOP, A. (2007) Encapsulation of Contaminated Soil with ‘Diesel’ Oil. Revista Geotécnia, 110:3-17.

MACDONALD, R.W., HARNER, T.T., FYFE, J. (2005) Recent Climate Change in the Arctic and its Impact on Contaminant Pathways and Interpretation of Temporal Trend Data. Science of the Total Environment 342.

MEDEIROS, P.M., BÍCEGO, M.C., CASTELAO, R.M., ROSSO, C.D., FILLMANN, G., ZAMBONI, A.J. (2005) Natural and Anthropogenic Hydrocarbon Inputs to Sediments of Patos Lagoon Estuary, Brazil. Environment International 31.

MOURA, E. (2001) Estudo do Efeito de Aditivos Químicos e da Cal como Melhoradores de Adesividade em Misturas Asfálticas Densas. Universidade de São Paulo. Dissertação de Mestrado. São Paulo, SP.

OLIVEIRA, D.M., CASTILHOS JUNIOR, A. B., MEIOTELLO, E. (2003) Evaluation of the Solidification/Stabilization of Oily ‘Borra’ Using Caulinita and Vermiculite ‘as’ Adsorbents Materials. 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Joinville, SC.

ONOFRE, F.C., LOPES, M.M., CASTELO BRANCO, V.T.F., SOARES, J.B. (2009) Aplicação de Solo Contaminado por Petróleo em Misturas Asfálticas. 16a Reunião de Pavimentação Urbana. Belo Horizonte, MG.

ROJAS, J.W.J., CONSOLI, N.C., HEINECK, K.L. (2009) Treatment of Contaminated Soil: Encapsulation Analysis of Heavy Metal. Estudos Tecnológicos, vol. 5. Porto Alegre, RS.

SILVA, R.M. da C. (2002) Utilização da Técnica de Fluorescência de Raios–X com Microssonda (μ-XRF) Aplicada à Amostra de Interesse Arqueológico. Tese de Doutorado; Universidade de São Paulo, SP.

SILVA, S.A; ARAÚJO, H. W. C; OLIVEIRA, R. (1998) Reservatórios Profundos Tratando Esgoto Doméstico Bruto no Nordeste do Brasil: Ciclo do Enxofre. XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Anais. Porto Alegre, ABES.

UBALDO, M.O., MOTTA, L.M.G., FRITZEN, M.A., NASCIMENTO L.A.H. (2011) Utilização do Resíduo de Borra Oleosa em Pavimentação. Congresso Ibero-Latinoamericano do Asfalto. Rio de Janeiro, RJ.

VANE, C.H., HARRISON, I., KIM, A.W. (2007) Polycyclic Aromatic Hydrocarbons (PAHs) and Polychlorinated Biphenyls (PCBs) in Sediments from the Mersey Estuary, U.K. The Science of the Total Environment 374.

VENTURINI, N., TOMMASI, L.R. (2004) Polycyclic Aromatic Hydrocarbons and Changes in the Trophic Structure of Polychaete Assemblages in Sediments of Todos os Santos Bay, Northeastern, Brazil. Marine Pollution Bulletin 48.

WANG, J.; LEWIS, D.M.; CASTRANOVA, V.; FRAZER, D.G.; GOLDSMITH, T.; TOMBLYN, S.; SIMPSON, J.; STONE, D.; AFSHARI, A.; SIEGEL, P.D. (2001) Characterization of Asphalt Fume Composition under Simulated Road Paving Conditions by GC/MS and Microflow LC/Quadrupole Time-of-Flight MS. Anal. Chem. 73:3691–3700.

WITT, G. (2002) Ocurrence and Transport of Polycyclic Aromatic Hydrocarbons in the Water Bodies of the Baltic Sea, Marine Chemistry, 79, 49-66.

ZHENG, G.J., RICHARDSON, B.J. (1999) Petroleum Hydrocarbons and Polycyclic Aromatic Hydrocarbons (PAHs) in Hong Kong Marine Sediments. Chemosphere 38.

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

Araujo, V. M. de C., Castelo Branco, V. T. F., de Lima, D. M., & Cavalcante, R. M. (2016). Avaliação ambiental da utilização de solo contaminado por derivados de petróleo (SCDP) em misturas asfálticas. TRANSPORTES, 24(2), 77–87. https://doi.org/10.14295/transportes.v24i2.961

Edição

Seção

Artigos