Como medir a variação de acessibilidade causada pela implantação de um território gerador de viagens?

Autores

  • Jessica Helena de Lima Universidade Federal de Pernambuco http://orcid.org/0000-0002-5416-2369
  • Mauricio Oliveira de Andrade Universidade Federal de Pernambuco
  • Maria Leonor Alves Maia Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v24i2.921

Palavras-chave:

indicador de acessibilidade, território gerador de viagens, deslocamento pendular

Resumo

O aumento do número de deslocamentos causado pela implantação de um território gerador de viagens traz impactos ao ambiente urbano. A existência de uma ferramenta que torne possível mensurar essas variações indicando onde aconteceram com maior intensidade faz-se necessária a fim de indicar ao poder público para a necessidade de realização de investimentos em transportes no local. Este trabalho analisa o impacto causado pelo novo Complexo Industrial Portuário de Suape em Pernambuco, considerado um território gerador de viagens, através de indicadores de acessibilidade. Para isto foram utilizadas medições anteriores à existência do Complexo (1997), e da sua fase de implantação e operação de algumas indústrias em 2010. Foram observadas mudanças positivas e negativas na dinâmica local, como, por exemplo, o tempo de deslocamento dos moradores da região diminuiu, indicando que eles foram em parte absorvidos pelo Complexo, por outro lado aumentou muito para quem se dirige pendularmente à região, indicando que as infraestruturas de transportes disponíveis precisam ser melhoradas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jessica Helena de Lima, Universidade Federal de Pernambuco

Mestranda em Engenharia Civil - Transportes. Graduada em Engenharia de Produção.

Mauricio Oliveira de Andrade, Universidade Federal de Pernambuco

Engenheiro Civil (UFPE-1978), Mestre em Engenharia Civil - Transportes (UFPE-2006) e Doutor em Engenharia Civil - Transportes (UFPE-2012).

Maria Leonor Alves Maia, Universidade Federal de Pernambuco

Graduação em arquitetura pela Universidade Federal de Pernambuco (1985), mestrado em Urban Development Planning pela University College London (1991) e doutorado em Urban Development Planning pela University College London (1996), Reino Unido.Em 2008-2009, realizou estágio pos-doutoral na Bartlett School of Planning, University College London, Reino Unido, com foco na temática da mobilidade urbana sustentável. Professora associada da Universidade Federal de Pernambuco, bolsista de produtividade do CNPq.

Referências

Aguilera,A. e Mignot,D. (2004) Urban sprawl, polycentrism and commuting. A comparison of seven french urban areas. Urban Public Economics Review. No. 001.

Ben-Akiva,M., Lerman,S.R., (1979) Disaggregate Travel And Mobility Choice Models And Measures Of Accessibility. In: Hensher,D.A.Stopher, P.R., (Eds.), Behavioural Travel Modeling, Croom Helm, Andover, Hants, 654-679.

Bitoun,J., Miranda,L., Souza,M.A.A., Lyra,M.R.S.B. (2013) Região Metropolitana do Recife no Contexto de Pernambuco no Censo 201. Observatório das Metrópoles. Disponível em: http://www.observatoriodasmetropoles.net/download/Texto_BOLETIM_RECIFE_FINAL.pdf Acesso: 30/04/2015

Burns,L.D. (1979) Transportation, Temporal And Spatial Components Of Accessibility. Lexington Books, Lexington Toronto.

Cavalcanti,J.C. (2004) Educação Em Pernambuco: O Modelo Tem Que Mudar? Disponível Em: < www.economia.pe.gov.br >. Acesso: 10 Jul. 2014.

Cevero,R. (1996) Jobs-housing balance revisited: trends and impacts in the San Francisco Bay Area. Journal of the American Planning Association 62 (4), 492-511.

CONDEPE/FIDEM (2014) PIB Estadual. Disponível em <http://www.condepefidem.pe.gov.br/web/condepe-fidem/estadual>. Acesso: 11/07/2014

Cunha,M.J.T., Maia,M.L.A., Lima Neto,O.C.C. (2004) Acessibilidade, Transporte E Reestruturaçao Urbana. Anais do XVIII Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes, ANPET, Florianópolis, v. 1, p. 748-759.

Dalvi,M.Q., Martin,K.M. (1967) The Measurement Of Accessibility: Some Preliminary Results. Transportation 5, 17-42.

DETRAN (2015) Estatisticas atuais. Disponível em: http://www.detran.pe.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=36&Itemid=72

EMTU (1998) Pesquisadomiciliar-97 - Região Metropolitana Do Recife. Empresa Metropolitana De Transportes Urbanos De Recife. Recife.

Ewing,R. (1997) Is Los Angeles-style sprawl desirable? Journal of the American Planning Association 63 (1), 107-126.

IBGE (2013) Estimativas populacionais para os municípios brasileiros em 01.07.2013. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/estimativa2013/estimativa_dou.shtm >. Acesso: 03/jun/2014

Geurs,K.T., Wee,B.Van, (2004) Acessilibity Measures A Literature Review. Journal Of Transport Geography 12. Pp 127-140. Elsevier.

Gordon,P., Richardson,H.W. (1996) Beyond polycentricity: the dispersed metropolis, Los Angeles, 1970-1990. Journal of American Planning Association 62 (3)

GOVERNO DE PERNAMBUCO (2014) Desenvolvimento econômico. Disponível em <http://www.pe.gov.br/governo/focos-estrategicos/desenvolvimento-economico/>. Acesso em: 11/06/2014

Goldner,L.G.; Westphal,D.; Pinto de Freitas,I.M.; Santos,D.V.C. Polos múltiplos geradores de viagens (PMGV) (2010) Revista Transportes v. 18, n. 1, Gutierrez,J., Condeço-Melhorado,A., Matin,J.C. (2010) Using accessibility indicators and GIS to assess spatial spillovers of transport infrastructure investment. Journal of Transport Geography. Vol 18, Issue 1, January 2010, Pages 141-152.

Hansen,W.G. (1959) Accessibility And Residential Growth. Thesis (M.C.P.)--Massachusetts Institute Of Technology, Dept. Of City And Regional Planning.

Kneib,E.C. (2008) Subcentros Urbanos: Contribuição Conceitual E Metodológica À Sua Definição E Identificação Para Planejamento De Transportes.Tese De D.Sc. Universidade De Brasília.

Koenig,G. (1977) Les indicateurs d’accessibilites dans les studes urbaines: de la theorie a la practique. Revue Generale des Routes et des Aerodromes. N 533. Pg 5-23.

Levinson,D.M.; Kumar,A. (1994) The Rational Locator: Why Travel Times Have Remained Stable. Journal of the American Planning Association, 60: 319-332.

Lima,J.H.; Maia,M.L.A. (2014) Renda E Tempo De Deslocamento Pendular Na RMR: Quais As Causas Da Relação De Não Monotonicidade Para A População De Baixa Renda? Anais do XVIII Congresso Latino Americano de Transporte Urbano, CLATPU, Rosário, Argentina.

Lima Neto,O.C.C. (1982) Möglichkeiten Und Grenzen Der Übertragung Von Zusammenhängen Und Modellen In Der Grobstädtischen Verkehrsplanung Der Bundesrepublik Deutschland Auf Entwicklungsländer – Dargestellt Na Beispiel De Brasilianischen Stadt Recife. Tese De Doutorado, Universidade Técnica Da Renânia Do Norte, Westfália, Aachen, Alemanha.

McMillen,D.P. (2004) Employment densities, spatial correlation, and subcenters in large metropolitan areas. Journal of Regional Science 44, 225-243.

Meira,L.H., Andrade,M.O. e Maia,M.L.A. (2012) Mobilidade Crítica em um território gerador de viagens: O Caso do Complexo Industrial Portuário de Suape, publicado nos Anais do XXVI Congresso da ANPET – Associação Nacional de Ensino e Pesquisa em Transportes, Joinville – SC,

Mäcke,P.A. (1974) Personenverkehr In Stadt Und Region – Weiterentwicklung Des Algorithmus Zur Schatzungder Strukturbedingten Nachfrage. In: Stadt Region Land, Schriftenreihe Des Instituts Fur Stadtbauwesen,Rwth Aachen, Heft 30

Silva,P.H.,Lima,M.L.C,Moreira,R.S.,Souz

a,W.V.,Cabral,A.(2011). Estudo espacial da mortalidade por acidentes de motocicleta em Pernambuco. Rev Saude Publica, 45(2), 409-15.

PORTOGENTE (2014) Porto de Suape. Portopédia: Tudo sobre transportes, logísticas, comércio e turismo. Disponível em: <<http://portogente.com.br/portopedia/porto-de-suape-80272>>, Acesso em: 14/jul/2014

REDE, Rede Ibero-Americana De Estudos De Pólos Geradores De Viagens (2005) Relatório Da 1ª Reunião De Trabalho. Universidade Federal Do Rio De Janeiro. Disponível Em: , acesso em 30/jun/2014

REDPGV (2010) O Que É Um Pgv?Rede Ibero-Americana De Estudo Em Polos Geradores De Viagens. Disponível Em: . Acesso Em: 07/Jul/2014

Rocha,M.H., Sales,A., Ramos,F. (2007) A Implantação De Uma Refinaria De Petróleo Em Suape-Pe: Uma Avaliação Dos Impactos Socioeconômico-Ambientais A Partir Da Interpretação De Agendas 21 Locais .Disponivel em: <http://www.ecoeco.org.br/conteudo/publicacoes/encontros/vii_en/mesa2/trabalhos/uma_avaliacao_qualitativa_dos_impactos_da_implantacao_de_uma_refinaria.pdf>. Acesso em: 08/jul/2014.

Schwanwn,T.; Dieleman,F.M.; Dijst,M. (2001) Travel behavior in Dutch monocentric and polycentric urban systems. Journal of Transportation Geography 9, 173-186

Santos,J.J, Andrade,M.O, Brasileiro,A. (2014) Aproveitamento de antigos ramais ferroviários com adaptação para VLT para atender a novos polos geradores de viagem na RMR Anais do XVIII Congresso Latino Americano de Transporte Urbano, CLATPU, Rosário, Argentina.

Tagore, M.R.; Sikdar, P.K. (1995) A new accessibility measure accounting mobility parameters. Paper presented at 7th World Conference on Transport Research. The University of New South Wales, Sydney, Austrália.

Wachs,M., Kumagai,T.G. (1973) Physical Accessibility As A Social Indicator. So&-Econ. Plan. Sci. Vol. 7, 437-456. Pergamon Press.

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

Lima, J. H. de, de Andrade, M. O., & Maia, M. L. A. (2016). Como medir a variação de acessibilidade causada pela implantação de um território gerador de viagens?. TRANSPORTES, 24(2), 68–76. https://doi.org/10.14295/transportes.v24i2.921

Edição

Seção

Artigos