Modelo de localização ótima de estações ferroviárias: A futura linha de alta velocidade Lisboa-Porto

Autores

  • Hugo M. Repolho École Polytechnique Fédérale de Lausanne
  • António Pais Antunes Departamento de Engenharia Civil, Universidade de Coimbra
  • Richard L. Chucrch Department of Geography, University of California Santa Barbara

DOI:

https://doi.org/10.4237/transportes.v20i3.555

Resumo

Nas últimas décadas assistiu-se ao renascimento do transporte ferroviário, estando previstos investimentos avultados nos próximos anos, especialmente no que respeita à alta velocidade. O sucesso deste tipo de investimentos depende fortemente do volume de passageiros captados, o qual depende por sua vez do número e localização das estações ferroviárias. Este artigo apresenta um modelo de otimização inteiro-misto para determinar o número e localização ótimos das estações intermédias de uma linha de trens de alta velocidade. As estações são escolhidas de entre um conjunto de locais possíveis definidos a priori com o objetivo de maximizar a diminuição dos custos de viagens. O modelo tem em conta a sensibilidade da procura ao tempo de viagem perdido nas paragens intermédias, bem como a competição com modos de transporte alternativos. A utilidade prática do modelo é ilustrada através de uma aplicação à futura linha de alta velocidade Lisboa-Porto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hugo M. Repolho, École Polytechnique Fédérale de Lausanne

Scientifique chercheur dans le Laboratoite de Systèmes d'Information Géographique.

Downloads

Publicado

2012-11-14

Como Citar

Repolho, H. M., Pais Antunes, A., & Chucrch, R. L. (2012). Modelo de localização ótima de estações ferroviárias: A futura linha de alta velocidade Lisboa-Porto. TRANSPORTES, 20(3), 71–78. https://doi.org/10.4237/transportes.v20i3.555

Edição

Seção

Artigos