Hierarquização de melhores ligantes a serem aplicados na imprimação betuminosa de rodovias em função de características tecnológicas e ambientais

Autores

  • Fernando Dácio de Almeida Universidade Federal do Ceará, Ceará – Brasil https://orcid.org/0000-0003-0542-0883
  • Suelly Helena de Araújo Barroso Universidade Federal do Ceará, Ceará – Brasil https://orcid.org/0000-0003-0580-8706
  • Leandro Machado de Carvalho Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul – Brasil
  • Paulo Cícero do Nascimento Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul – Brasil
  • Luís Alberto Hermann do Nascimento Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello, Rio de Janeiro – Brasil https://orcid.org/0000-0003-0885-0272
  • Margareth Coutinho Cravo Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello, Rio de Janeiro – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v30i1.2576

Palavras-chave:

Pavimentação, Imprimação, Sustentabilidade, CM-30

Resumo

A busca pela compreensão do comportamento dos ligantes menos poluentes quando comparado ao asfalto diluído de petróleo (CM-30) para serviço de imprimação motivou esta pesquisa. Assim, hierarquizou-se ligantes comerciais e alternativos aplicáveis em serviços de imprimação pelos critérios tecnológicos e ambientais. Para tanto, verificou-se os parâmetros: penetração, coesão, aderência, desgaste superficial e ambiental de bases imprimadas com solos diferentes, usando-se o CM-30 como referência e seis ligantes alternativos: G8, G14, G15, G17, G18 e uma emulsão especial para imprimação - E1. Na base arenosa, o tipo de fluido preponderou sobre os parâmetros avaliados. Já na base argilosa, variações de umidade alteraram esses parâmetros. Assim, G14 apresentou-se promissor frente ao CM-30 seguido dos ligantes G8 e G18. Entretanto, o ligante G18 se mostrou inviável pelo gasto de energia para sua aplicação, cerca de 120°. Na análise ambiental, o G8 emitiu menos volátéis que o CM-30, sendo técnica e ambientalmente mais autossustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABNT (2019) ABNT NBR 13528-3: Revestimento de paredes de argamassas inorgânicas - Determinação da resistência de aderência à tração Parte 3: Aderência superficial. Rio de Janeiro, Associação Brasileira de Normas Técnicas, Comissão de Estudo de Asfalto.

ABNT (2014) ABNT NBR 14746: Microrrevestimentos a frio e lama asfáltica - Determinação de perda por abrasão úmi-da (WTAT). Rio de Janeiro, Associação Brasileira de Normas Técnicas, Comissão de Estudo de Asfalto.

Almeida, F. D.; S. A. R. Lima Filho; S. H. A. Barroso e J. B. S. Bastos (2014) Desenvolvimento de um método expedito para avali-ação da imprimação betuminosa de rodovias. In: Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis - IBP, 21º Encontro de Asfalto - IBP357_14.

Almeida, F. D.; S. A. Torquato e Silva; S. H. A. Barroso, e J. B. Soares (2016) Aplicação do Ensaio de Arrancamento por Torção para Avaliação da Aderência de Bases Imprimadas. XXX Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes – ANPET, Rio de Janei-ro-RJ.

Almeida, F. D. e S. H. A. Barroso (2017) Avaliação Da Coesão Da Imprimação Betuminosa De Rodovias. 2017, Congresso Ibero Latinoamericano del Asfalto – 0144, Medellin, Colômbia.

Almeida, F. D. e S. H. A. Barroso (2019) Avaliação da penetração do ligante asfáltico e o desgaste superficial de bases imprimadas. XXXIII Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes – ANPET, Balneário Camboriú-SC.

AI (2020) AI MS-22: Construction of Hot Mix Asphalt Institute. Third Edition.The Asphalt Institute, Lexington - KY.

ASTM (2005) ASTM D92: Standard Test Method for Flash and Fire Points by Cleveland Open Cup Tester.

ASTM (2021) ASTM D8-21: Standard Terminology Relating to Materials for Roads and Pavements. ASTM International, West Conshohocken, PA.

Bernucci, L. L. B.; L. M. G. Motta; J. A. P. Ceratti e J. B. Soares (2010) Pavimentação Asfáltica - Formação Básica para Engenhei-ros. Rio de Janeiro-RJ: Petrobras: ABEDA.

Boczkaj, G.; A. Przyjazny e M. Kamin (2014) Chemosphere Characteristics of volatile organic compounds emission profiles from hot road bitumens. Chemosphere v. 107, p. 23–30. DOI: 10.1016/j.chemosphere.2014.02.070

Cargnin, R. S.; P. C. Nascimento; L. M. Ferraz; M. M. Barrichello; L. C. Brudi; M. B. Rosa; L. M. Carvalho; D. B. Nascimento; M. C. Cravo e L. A. H. Nascimento (2017) Investigation of extraction and collection of polycyclic aromatic hydrocarbons from aqueous solutions at different temperatures. Polycyclic Aromatic Compounds. DOI: 10.1080/10406638.2017.1353529.

Brudi, L. C.; F. R. Adolfo; P. C. Nascimento; P. Schmidt; R. S. Cargnin; D. Bohrer; L. M. Carvalho e L. A. H Nascimento, (2021) Emissão e coleta de hidrocarbonetos aromáticos policíclicos de amostras de asfalto bruto aquecido a 130 ° C. Energia e com-bustíveis , 34 (9), 11248-11257.

Castro, C. A. A. (2003) Estudo da técnica de anti-pó com emulsão de xisto em pavimentos para baixo volume de tráfego. Tese de M. Sc., Programa de Engenharia Civil, COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro-RJ.

Dantas, J. M. (1959) Tratamentos contra o pó, imprimações, pinturas de ligação, tratamentos superficiais, macadames betumino-sos. Curso de Especialização Rodoviária. Instituto de Pesquisas Rodoviárias.

Dantas Neto (2001) Materiais asfálticos alternativos para uso em pavimentação. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Brasília - DF.

DNIT (2006) DNIT PRO-070: Condicionantes ambientais das áreas de uso de obras. DPP/IPR, Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (2018) DNIT ME-134: Pavimentação - Solos - Determinação do módulo de resiliência. DPP/IPR, Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (2014) DNIT ES-144: Pavimentação - Imprimação com ligante asfáltico. Rio de Janeiro-RJ.

DNER (1999) Diretrizes básicas para elaboração de estudos e projetos rodoviários (escopos básicos/instruções de serviço). - Rio de Janeiro-RJ, IPR. Publ., 707.

DNIT (1994) DNIT ME-041: Solos - Preparação de Amostras para ensaios de caracterização - MT - Instituto de Pesquisas Ro-doviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1994) DNIT ME-049: Índice de Suporte Califórnia de Solos Utilizando Amostras não Trabalhadas - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1994) DNIT ME-051: Análise Granulométrica por Sedimentação - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1994) DNIT ME-080: Análise Granulométrica por Peneiramento - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1994) DNIT ME-082: Solos - Determinação do Limite de Plasticidade - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1994) DNIT ME-093: Solos - Determinação de Densidade Real - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1994) DNIT ME-122: Determinação do Limite de Liquidez de Solos - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1994) DNIT-ME-162: Solos - Ensaio de compactação utilizando amostras trabalhadas - MT - Instituto de Pesquisas Ro-doviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1997) DNIT ME 363: Asfaltos diluídos tipo cura média - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

DNIT (1997) DNIT-ME ES-306: Pavimentação - Imprimação - MT - Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro-RJ.

Duque Neto, F. S. (2004) Proposição de Metodologia para Escolha de Solo e Dosagem de Antipó com Emulsão de Xisto. Disserta-ção de M. Sc. Programa de Engenharia Civil, COOPE/UFRJ, Rio de Janeiro-RJ.

Huang, Y. H. (2004) Pavement analysis and design. 2.ed. Pearson Prentice Hall, Upper Saddle River - NJ.

ISSA (1990) TB-100: WTAT Wet Track Abrasion Test, International Slurry Surfacing Association.

ISSA (1990) TB-139: Classify Emulsified Asphalt/Aggregate Mixture Systems by Modified Cohesion Tester Measurement of Set and Cure Characteristics. International Slurry Surfacing Association.

Kulkarni, M. B. (2005) Effect of Tack and Prime Coats, and Baghouse Fines on Composite Asphalt Pavements. Thesis (Ph.D.) - North Carolina State University. Disponível em: <http://www.lib.ncsu.edu/resolver/1840.16/3269> Acesso em 20/02/2020.

Mantilla, C. A. e J. W. Buttom (1994) Prime coat method sand material store place cutback asphalt. Research Report TTI 0-1334, Texas Transportation Institute Texas A&M University.

Mohammad, L. N.; M. A. Raqib e B. Huang (2002) Influence of Asphalt Tack Coat Materials on Interface Shear Strenght. Trans-portation Research Record: Journal of the Transportation Research Board, No. 1789, pp56-65. Transportation Research Board of the National Academies, Washington - D.C.. DOI: 10.3141/1789-06.

Mullins, C. E.; D. A. Macleod; K. H. Northcote; J. M. Tisdall e I. M. Young (1990) Hard setting soils: Behavior, occurrence and man-agement. Adv. Soil Sci., 11:37-108. DOI: 10.1007 / 978-1-4612-3322-0_2.

Pimentel Gomes, F. (1985) Curso de Estatística Experimental. Editora Nobel. Piracicaba. São Paulo.

Pośniak, M. (2005) Polycyclic aromatic hydrocarbons in the occupational environment during exposure to bitumen fumes. Polish Journal of Environmental Studies, v. 14, n. 6, p. 809–815.

Rabêlo, A. N. (2006) Contribuição ao estudo da imprimação betuminosa das bases rodoviárias do estado do Ceará. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE.

Schreiner, C. A. (2011) Review of mechanistic studies relevant to the potential carcinogenicity of asphalts. Regulatory Toxicology and Pharmacology, v. 59, n. 2, p. 270–284, DOI: 10.1016/j.yrtph.2010.10.010.

Vam Dam, T.; K. Kirchner; M. Shahin e E. W. Blackmon (1987) Consequence of Layer Separation on Pavement Performance, Re-port DOT/FAA/PM-86/48. US. Department of Transportation, Federal Aviation Administration, Washington - D.C.

Vasconcelos, M. A. G. (2009) Primeiro estudo da aplicação de biodiesel como material alternativo para a imprimação betuminosa de pavimentos rodoviários. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE.

Villibor, D. F.; J. S. Nogami e G. T. P. Fabbri (1989) Imprimadura asfáltica em bases de Solo Arenoso Fino Laterítico. Anais da XV Reunião Anual de Pavimentação. Florianópolis-SC.

Downloads

Publicado

26-04-2022

Como Citar

Almeida, F. D. de, de Araújo Barroso, S. H. ., Machado de Carvalho, L. ., do Nascimento, P. C. ., Hermann do Nascimento, L. A. ., & Coutinho Cravo, M. . (2022). Hierarquização de melhores ligantes a serem aplicados na imprimação betuminosa de rodovias em função de características tecnológicas e ambientais . TRANSPORTES, 30(1). https://doi.org/10.14295/transportes.v30i1.2576