Centralidades urbanas: proposta de classificação com base no fluxo de viagens em Belo Horizonte - MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v30i1.2533

Palavras-chave:

Planejamento de transportes, Planejamento urbano, Centralidades, Mobilidade urbana

Resumo

Os recentes problemas urbanos, notadamente as deficiências em mobilidade urbana e a concentração espacial, apresentam-se como desafios aos pesquisadores e gestores públicos. Neste contexto, quando há o agravamento das distâncias e dos tempos de deslocamentos percorridos pelos citadinos, aponta-se para a fomentação e a manutenção de policentros, desconcentrando equipamentos, serviços e atividades. Tal medida possui potencial para redução das distâncias e dos tempos de deslocamentos, contribuindo, assim, para a melhoria da mobilidade e acessibilidade, bem como da própria qualidade de vida urbana. Essa pesquisa está estruturada para desenvolver e aplicar uma proposta metodológica de classificação de centralidades com base no fluxo de viagens. Ao se utilizar de técnicas de geoprocessamento e medidas de análise espacial, tem como objetivo propor indicadores capazes de classificar as centralidades urbanas, discriminadas em local, regional e municipal. A aplicação para Belo Horizonte - MG, demonstrou que a proposta é viável, tendo sido classificadas 38 centralidades em conformidade com o Plano Diretor, possuindo, assim, capacidade para subsidiar a gestão e elaboração de políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Otávio Rocha Castilho, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais – Brasil

Geógrafo pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestrando pelo Programa de Engenharia de Transportes e Geotecnia da Universidade Federal de Minas Gerais.

Isabela Kopperschmidt de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais – Brasil

Engenheira Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestranda pelo Programa de Engenharia de Transportes e Geotecnia da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

Belo Horizonte (2019a) Lei nº 11.181/2019, de 31 de agosto de 2019. Aprova o Plano Diretor do Município de Belo Horizonte e dá outras providências. Available on: <https://www.cmbh.mg.gov.br/atividade-legislativa/pesquisar-legislacao/lei/11181/2019> (access on: 08/20/2021).

Belo Horizonte (2019b) Atividades econômicas. Available on: <http://bhmap.pbh.gov.br/v2/mapa/idebhgeo> (access on: 02/17/2022).

Belo Horizonte (2020) Bairros. Available on: <http://bhmap.pbh.gov.br/v2/mapa/idebhgeo> (access on: 02/17/2022).

Brazil (2019) IBGE Cidades. Available on: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/belo-horizonte/panorama> (access on: 02/17/2022).

Brazil (2020) Relação Anual de Informações Sociais - RAIS. Brasília – DF.

Cardoso, L.; G. C. Leiva; J. G. de Mendonça and D. A. Lessa (2020) Descentralização urbana, mobilidade residencial e movimento pendular na metrópole belo-horizontina. In: LOBO, C.; CARVALHO, P. F. B. Migração e a mobilidade espacial da população em Minas Gerais. Belo Horizonte: Letramento. p. 239-266. DOI: 10.29327/214826.1-9.

Cladera, J. R.; C. R. M. Duarte and M. Moix (2009) Urban Structure and Polycentrism: towards a redefinition of the sub-centre concept. Urban Studies, v. 46, n. 13, p. 2841-2868. DOI: 10.1177/0042098009346329.

Izaga, F. G. (2009). Mobilidade e centralidade no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado) - Curso de Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Jayasinghe A. and T. Munshi (2014) "Centrality Measures" as a tool to identify the Transit Demand at Public Transit Stops: A Case of Ahmedabad City, India. International Journal of Advanced Research, v. 2, p. 1063-1074.

Jayasinghe, A; K. Sano and K. Rattanaporn (2017) Application for developing countries: estimating trip attraction in urban zones based on centrality. Journal of Traffic and Transportation Engineering, v. 4, n. 5, p. 464-476, 2017. DOI: 10.1016/j.jtte.2017.05.011.

Kneib, E. C. (2008) Subcentros urbanos: contribuição conceitual e metodológica à sua definição e identificação para planejamento de transportes. Tese (Doutorado) - Curso de Transportes, Universidade de Brasília, Brasília. Available on: <https://repositorio.unb.br/handle/10482/1765?mode=full> (access on 08/20/2021).

Leiva, G. C.; R. D. Orrico Filho and M. G. Oliveira (2019) (Des) metropolização ou descentralização da metrópole Belo-Horizontina/MG: análise do padrão de mobilidade por intermédio do diagrama de fluxos. Anais do 33º Congresso de Pesquisa e Ensino em Transporte da ANPET, p. 3366-3377. Available on: <https://anpet.org.br/anais/documentos/2019/Planejamento%20Territorial%20do%20Transporte/Transporte%20e%20Uso%20do%20Solo/6_579_AC.pdf> (access on 08/20/2021).

Lessa, D. A.; C. Lobo; L. Cardoso and B. A. Matos (2017) Transporte por ônibus em Belo Horizonte: acessibilidade e mobilidade espacial da população. Anais do 21º Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito. Available on: <http://files.antp.org.br/2017/7/6/transporte-por-onibus-em-belo-horizonte-acessibilidade-e-mobilidade-espacial.pdf> (access on 02/17/2022).

Lessa, D. A. (2019) Mobilidade e acessibilidade ao transporte coletivo por ônibus: evidências e contradições no caso de Belo Horizonte - MG. Tese (Doutorado) - Curso de Geografia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Available on: <https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/31654> (access on 08/20/2021).

Lessa, D. A. and C. Lobo (2020) Mobilidade e a atração de viagens de ônibus da área central de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Gestão Urbana - URBE, v. 12. DOI: 10.1590/2175-3369.012.e20190229.

Liu, Z. and S. Liu (2018) Polycentric Development and the Role of Urban Polycentric Planning in China’s Mega Cities: an examination of Beijing’s metropolitan area. Sustainability, v. 10, n. 5, p. 1588-1602. DOI: 10.3390/su10051588.

Mattos, C. A. (2015) Redes, nodos e cidades: transformação da metrópole latino-americana. RIBEIRO, Luiz César de Queiroz. Metrópoles: entre a coesão e a fragmentação, a cooperação e o conflito. 2. ed. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2015. p. 157-196.

Matsumoto, P. S. S.; R. C. Catão and R. B. Guimarães (2017) Mentiras com mapas na geografia da saúde: métodos de classificação e o caso da base de dados de LVA do SINAN e do CVE. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 13, n. 26, p. 211-225. DOI: 10.14393/Hygeia132618.

Mayorga, M. (2013) Espacios de centralidad urbana y redes de infraestructura. Tese (Doutorado) - Curso de Engenharia e Infraestrutura de Transportes, Universidade Politécnica da Catalunha, Barcelona. Available on: <https://www.tesisenred.net/handle/10803/128674> (access on 08/20/2021).

Mendonça Neto, W. L. and E. C. Kneib (2016) Centralidades urbanas e oferta de transporte público coletivo em Goiânia-GO, 2014. Transportes, v. 24, n. 1, p. 42-50. DOI: 10.14295/transportes.v24i1.916.

Minas Gerais (2013) Relatório Completo Pesquisa OD 2012. Belo Horizonte. Available on: <http://www.agenciarmbh.mg.gov.br/pesquisa-od-2012/> (access on 08/20/2021).

Monte-Mór, R. L. (2006) O que é o urbano, no mundo contemporâneo. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. 14p.

Pinheiro, J. M. (2014) (Re) apropriando a centralidade na metrópole. Dissertação (Mestrado) - Curso de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Available on: <https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/MMMD-9UFP9S?> (access on 08/20/2021).

Raia Jr., A. (2000) Acessibilidade e mobilidade na estimativa de um índice de potencial de viagens utilizando Redes Neurais Artificiais e Sistemas de Informações Geográficas. Tese (Doutorado) – Curso de Engenharia de Transportes, Universidade de São Paulo, São Carlos. DOI: 10.11606/T.18.2000.tde-10112001-160812.

Ramos, F. R. (2004) Análise espacial de estruturas intra-urbanas: o caso de São Paulo. Dissertação (Mestrado) - Curso de Sensoriamento Remoto, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos. Available on: <http://mtc-m12.sid.inpe.br/col/sid.inpe.br/marciana/2003/04.14.11.38/doc/publicacao.pdf> (access on 08/20/2021).

Rauhut, D. (2017) Polycentricity – one concept or many? European Planning Studies, v. 25, n. 2, p. 332-348. DOI: 10.1080/09654313.2016.1276157.

Sat, A. (2018) Monocentric or polycentric? Defining morphological structure of Nuts – 2 regions of Turkey from 2000 to 2016. Geographica Pannonica, v. 22, n. 1, p. 1-13. DOI: 10.5937/gp22-15726.

Silva, K. A. A.; J. M. P. Cunha and G. M. Ortega (2017) Um olhar demográfico sobre a constituição da macrometrópole paulista: fluxos populacionais, integração e complementaridade. Cadernos Metrópole, v. 19, n. 40, p. 721-748. DOI: 10.1590/2236-9996.2017-4002.

Sposito, M. E. B. (1991) Centro e as formas de expressão da centralidade urbana. Revista de Geografia. v. 10, p. 1-18.

UFMG (2011) Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Belo Horizonte - PDDI-RMBH. Sumário Executivo. Belo Horizonte – MG.

Vilela, N. M. (2006) Hipercentro de Belo Horizonte: movimentos e transformações espaciais recentes. Dissertação (Mestrado) - Curso de Geografia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Available on: <https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/MPBB-6XRKL9> (access on 08/20/2021).

Villaça, F. (2007) Espaço intra-urbano no Brasil. 2. ed. São Paulo: Studio Nobel: Fapesp: Lincoln Institute, 379 p.

Zhong, C.; S. M. Arisona; X. Huang and G. Schmitt (2013) Identifying spatial structure of urban functional centers using travel survey data: a case study of Singapore. In: Proceedings of The First ACM SIGSPATIAL International Workshop on Computational Models of Place. p. 28-33. DOI: 10.1145/253488.2534855.

Zhong, C.; S. M. Arisona; X. Huang; M. Batty and G. Schmitt (2014) Detecting the dynamics of urban structure through spatial network analysis. International Journal of Geographical Information Science, v. 28, n. 11, p. 2178-2199, 2014. DOI: 10.1080/13658816.2014.914521.

Downloads

Publicado

17-03-2022

Como Citar

Rocha Castilho, L. O. ., Cardoso, L., Lobo, C., & Kopperschmidt de Oliveira, I. . (2022). Centralidades urbanas: proposta de classificação com base no fluxo de viagens em Belo Horizonte - MG. TRANSPORTES, 30(1), 2533. https://doi.org/10.14295/transportes.v30i1.2533