Espraiamento urbano e seus impactos nas desigualdades socioespaciais da acessibilidade ao trabalho em Fortaleza

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v29i1.2348

Palavras-chave:

Espraiamento Urbano, Segregação Urbana, Planejamento da acessibilidade urbana, Desigualdades socioespaciais na acessibilidade

Resumo

O espraiamento urbano é um fenômeno comum nas metrópoles brasileiras. A população de alta renda conduz um processo de autossegregação socioespacial que, combinado à periferização de segmentos de baixa renda, tem contribuído para o agravamento da problemática das desigualdades na acessibilidade às atividades urbanas. Esta pesquisa exploratória buscou investigar os efeitos do espraiamento residencial urbano sobre os níveis de acessibilidade às oportunidades de emprego em Fortaleza, e como esses efeitos impactam de forma desigual os distintos grupos socioeconômicos. Para tanto, propôs-se uma representação conceitual dessa problemática e sua caracterização a partir da definição e territorialização de indicadores agregados de uso do solo e de acessibilidade aos postos de trabalho. Os resultados apontam processos de descentralização distintos por grupo de renda, com distribuições desiguais e não equânimes do acesso às oportunidades de empregos, configurando Fortaleza como uma produção de duas cidades díspares e segregadas, a dos ricos e a dos pobres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lara Silva Lima, Universidade Federal do Ceará, Ceará – Brasil

Mestre em Engenharia de Transportes pela Universidade Federal do Ceará (2017). Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará (2010) e MBA em Gerência de Projetos na Fundação Getúlio Vargas (2015). Trabalhou na Prefeitura Municipal de Fortaleza no Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (PAITT). Durante o mestrado, fez parte do grupo de pesquisa de Modelagem Integrada do Transporte e Uso do Solo. Desde 2015, atua como arquiteta e urbanista da Divisão de Estudos e Projetos da Universidade Federal do Ceará - UFC. Possui experiência na área de Planejamento Urbano, atuando principalmente com Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e Planejamento Integrado de uso do solo e transportes.

Carlos Felipe Grangeiro Loureiro, Universidade Federal do Ceará, Ceará – Brasil

Engenheiro Civil pela Universidade Federal do Ceará (1990), M.Sc. e Ph.D. em Engenharia de Transportes pela University of Tennessee, Knoxville (1990-1994). Professor Titular do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (DET/UFC) e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Transportes (PETRAN/UFC), lecionando disciplinas de graduação e pós-graduação nas áreas de Análise e Planejamento de Sistemas de Transportes, Modelagem da Demanda por Transportes, Inferência Estatística e Metodologia da Pesquisa. Como pesquisador, é líder do Grupo de Pesquisa em Transporte, Trânsito e Meio Ambiente (GTTEMA/UFC) com Bolsa de Produtividade em Pesquisa do CNPq desde 1996. Como consultor técnico, tem coordenado e participado da elaboração de vários estudos e projetos em parceria com entidades públicas e privadas do setor de Transportes no Ceará, destacando-se: ARCE, DETRAN-CE, DER-CE, METROFOR, SCSP-PMF, AMC e ETUFOR. Suas principais áreas de interesse em pesquisa, desenvolvimento e consultoria são: Planejamento e Operação de Sistemas de Transportes, Modelagem Integrada dos Transportes e Uso do Solo.

Francelino Franco Leite de Matos Sousa, Centro Universitário Christus, Ceará – Brasil

Engenheiro Civil pela Universidade Federal do Ceará (2014) tendo realizado extensão acadêmica na Universidade de Coimbra (2012/2013) - Portugal, onde concluiu projeto de graduação na área de Modelagem Comportamental da Demanda por Transportes. É Mestre em Engenharia de Transportes pela Universidade Federal do Ceará (2014 - 2016), período no qual atuou como monitor na disciplina de Análise e Planejamento do Sistema de Transportes tanto da Graduação, como na Pós-Graduação. É Doutor em Engenharia de Transportes pela UFC desde 2019. Academicamente, é professor da disciplina de Planejamento e Sistemas de Transportes para o curso de Engenharia Civil e Coordenador Adjunto das Engenharias do Centro Universitário Christus. Como consultor técnico, participou da elaboração do Plano Mestre Urbanístico e de Mobilidade da cidade de Fortaleza, produto do processo de planejamento participativo intitulado de Fortaleza 2040, criado da parceria entre FCPC e IPLANFOR. Prestou ainda consultoria à SCSP-FOR através do projeto Modelagem no Apoio à Decisão no Planejamento, Operação e Gestão dos Sistemas de Transporte Público e de Circulação Viária de Fortaleza firmado entre a FASTEF e a SCSP-FOR. Suas principais áreas de interesse em pesquisa, desenvolvimento e consultoria são: Planejamento e Operação de Sistemas de Transportes e Modelagem Integrada dos Transportes e Uso do Solo.

André Soares Lopes, Universidade de Fortaleza, Ceará – Brasil

Professor na área de planejamento urbano, atua como pesquisador sob a Direção de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (DPDI) na Universidade de Fortaleza (UNIFOR) e em parceria com o grupo PAMUS (DET/UFC), com foco em mobilidade integrada do uso do solo e transportes. Atuou ainda como gerente de transporte e integração do Metro de Fortaleza - Metrofor. -- FORMAÇÃO -- Mestre em engenharia e ciências sociais pelo Instituto Tecnológico de Tóquio (2007), revalidado pela Universidade de Brasília em 2010. É ainda Doutor em Engenharia pelo programa de Pós Graduação em Engenharia de Transportes pela UFC (2015), durante o qual foi pesquisador bolsista (CAPES - Demanda Social) com ênfase em planejamento urbano integrado (uso do solo e transportes) e modelagem/análise de demanda de transportes. Desenvolveu ainda atividades acadêmicas em estágio de pesquisa no exterior (bolsista CAPES PDSE) na Universidade Técnica de Delft (TUDelft), nos Paíse Baixos. Seus interesses de pesquisa são: (1) Planejamento Integrado de Uso do solo e Transportes - LUTI, (2) Mobilidade Ativa e transporte não motorizado e (3) Morfologia Urbana, com ênfase em sintaxe espacial.

Referências

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa - ABEP. (2015) Critério de Classificação Econômica Brasil, 2015. Disponível em: <http://www.abep.org/criterio-brasil>. (Acesso em 20/01/2021).

Andrade, B. R.; C. F. G. Loureiro; F. F. L. M. Sousa e A. S. Lopes. (2020) Efeitos da periferização nos níveis de acessibilidade aos empregos da população de baixa renda em Fortaleza. Transportes, v. 28, n.3, p. 46-60. DOI: 10.14295/transportes.v28i3.1810

Anselin, L. (2005) Exploring Spatial Data with GeoDaTM: A Workbook. Center for Spatially Integrated Social Science. Urbana, IL.

Billard, G.; J. Chevalier e F. Madoré. (2005) Ville fermée, ville suerveillée. Presses Universitaires de Rennes.

Borges, W. A. e M. M. Rocha. (2004) A compreensão do processo de periferização urbana do Brasil por meio da mobilidade centrada no trabalho. Geografia, v. 29, n. 3, p. 383-400.

Caldeira, M. T. (2000) Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. Edusp, São Paulo.

Cascetta, E. (2009) Transportation Systems Analysis (2ª ed). Springer US, Boston, MA.

Corrêa, R. L. (1995). O Espaço Urbano (3ª ed.). Ática, São Paulo.

Corrêa, R. L. (2013) Segregação residencial: classes sociais e espaço. In: Vasconcelos, P. A.; R. L. Corrêa e S. M. Pintaudi. A cidade contemporânea. Segregação Espacial (1ª ed.). Contexto, São Paulo.

de la Barra, T. (1989) Integrated Land Use and Transport Modelling: Decision Chains and Hierarchies. Cambridge University Press, New York, USA.

Freitas, C. F. S. e L. R. B. Pequeno. (2015) Produção habitacional na Região Metropolitana de Fortaleza na década de 2000: avanços e retrocessos. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.17, n.1, p.45-59.

Garcia, C. S. H. F.; M. D. R. M. R. Macário; E. D. A. G. Menezes e C. F. G. Loureiro. (2018) Strategic Assessment of Lisbon’s Accessi-bility and Mobility Problems from an Equity Perspective. Networks and Spatial Economics, v. 18, n. 2, p. 415-439. DOI: 10.1007/s11067-018-9391-4

Geurs, K. T. e B. van Wee. (2004) Accessibility evaluation of land-use and transport strategies: review and research direc-tions. Journal of Transport Geography, v. 12, n. 2, p. 127–140. DOI: 10.1016/j.jtrangeo.2003.10.005

Gist, N. P. e S. F. Fava. (1968) La Sociedad Urbana. Ediciones Omega. Barcelona, Espanha.

Hansen, W. G. (1959) How Accessibility Shapes Land Use. Journal of the American Institute of Planners, v. 25, n. 2, p. 73–76. DOI:10.1080/01944365908978307

IBGE (2000) Fortaleza: Informações por setor censitário da área urbana dos distritos-sede: Censo demográfico.

IBGE (2010) Fortaleza: Informações por setor censitário da área urbana dos distritos-sede: Censo demográfico.

IBGE (2015) Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios. Ceará.

Kuzmyak, R. J. e R. H. Pratt. (2003) Land Use and Site Design: Traveler Response to Transport System Changes. Chapter 15, Transit Cooperative Research Program Report 95, Transportation Research Board. The National Academies Press, Wash-ington, D.C. DOI: 10.17226/24727

Litman, T. A. (2015) Land use impacts on transport: How land use factors affect travel behavior. Victoria Transport Policy Insti-tute, Canadá.

Lopes, A. S.; C. F. G. Loureiro e B. van Wee. (2019) LUTI operational models review based on the proposition of an a priori ALUTI conceptual model. Transport Reviews, v. 39, n. 2, p; 204–225. DOI: 10.1080/01441647.2018.1442890

Lopes, A. S.; C. B. Cavalcante.; D. S. Vale e C. F. G. Loureiro. (2020) Convergence of planning practices towards LUT integration: Seeking evidences in a developing country. Land Use Policy. n. 99. DOI: 10.1016/j.landusepol.2020.104842

Máximo, F. R. C. C. e J. M. A. Lopes. (2013) Produção habitacional e expansão periférica do espaço urbano metropolitano: a construção dos conjuntos-bairros em Fortaleza. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pes-quisa em Planejamento Urbano e Regional. Recife, Brasil.

Ministério da Economia (2015). Relação Anual de Informações Sociais. Brasil.

Monteiro, E. R. (2007) Deslocamentos da forma urbana na zona sudeste de Fortaleza. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da UFRJ – PROURB, Rio de Janeiro, RJ.

Pequeno, L. R. B. (2015) Mudanças na estrutura socioespacial da metrópole: Fortaleza entre 2000 e 2010. In: Costa, M. C. L. e R. Pequeno. (2015), Fortaleza: transformações na ordem urbana. Letra Capital: Observatório das Metrópolis, Rio de Janei-ro.

Ribeiro, E. L.; J. A. R. Silveira; E. R. V. Lima e J. L. A. Oliveira. (2007). Controle do sprawl urbano, e inclusão social: o caso de João Pessoa - PB. In SICI - UNAERP (p. Seção 2). UNAERP, João Pessoa, Brasil.

Smith, R. (2001) A dinâmica da RMF e os vetores da expansão territorial. Mimeo. Fortaleza.

Sousa, F. F. L. M. (2019) Diagnóstico estratégico das desigualdades socioespaciais na acessibilidade ao trabalho em Fortaleza. Tese (doutorado). Programa de Pós Graduação em Engenharia de Transportes. Universidade Federal do Ceará. Fortaleza.

Sousa, F. F. L M.; C. F. G. Loureiro e A. S. Lopes. (2017) Representação do fenômeno urbano por meio de modelos integrados dos transportes e uso do solo: revisão da literatura e discussão conceitual. Transportes, v. 25, n. 4, p. 96. DOI: 10.14295/transportes.v25i4.1319

Squires, G. D. (2002). Urban sprawl: Causes, consequences, & policy responses. The Urban Institute Press, Washington, D. C.

Srinivasan, S.; R. Provost e R. Steiner. (2013) Modeling the land-use correlates of vehicle-trip lengths for assessing the trans-portation impacts of land developments. Journal of Transport and Land Use. v. 6, n. 2, p. 59-75. DOI: 10.5198/jtlu.v6i2.254

van Wee, B. (2002). Land use and transport: research and policy challenges. Journal of Transport Geography. v. 10, p. 259-271. DOI: 10.1016/S0966-6923(02)00041-8

Vasconcelos, P.; R. Corrêa e S. Pintaudi. (2013) A cidade contemporânea: Segregação espacial. Contexto, São Paulo.

Villaça, F. (1998) Espaço intra-urbano no Brasil. Studio Nobel, FAPESP, Lincoln Institute, São Paulo.

Weitz, J. (2003) Jobs-Housing Balance. American Planning Association Advisory Service, Chicago, WA.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Lima, L. S., Loureiro, C. F. G., Sousa, F. F. L. de M., & Lopes, A. S. (2021). Espraiamento urbano e seus impactos nas desigualdades socioespaciais da acessibilidade ao trabalho em Fortaleza. TRANSPORTES, 29(1), 229–246. https://doi.org/10.14295/transportes.v29i1.2348

Edição

Seção

Artigos