Avaliação do potencial de uso do deflectômetro de impacto leve para medidas de deflexão em pavimentos urbanos

Autores

  • Paulo Roberto Rodrigues Secretaria de Infraestrutura Urbana, Prefeitura Municipal de Joinville, Santa Catarina – Brasil
  • Adriana Goulart dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina, Santa Catarina – Brasil https://orcid.org/0000-0003-2949-1934
  • Edgar Odebrecht Universidade do Estado de Santa Catarina, Santa Catarina – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14295/transportes.v28i5.2078

Palavras-chave:

Deflectômetro de peso leve. Deflexão. Correlação. Pavimento urbano.

Resumo

O objetivo principal deste estudo foi avaliar o potencial de uso do Deflectômetro de Impacto Leve (LFWD) para medir deflexões em pavimentos urbanos. Para isso, avaliaram-se medidas de deflexões aferidas pelo LFWD, viga Benkelman (VB) e o ensaio de carga com placa (PL) em pavimentos construídos com diferentes materiais, espessuras de revestimento asfáltico e idades de operação. Determinaram-se modelos de regressão linear, que relacionaram as medidas de deflexão entre o LFWD e a VB, e o PL. Os resultados mostraram que não houveram boas relações lineares em estruturas compostas por camadas de revestimento asfáltico mais espessas, como também em estruturas com revestimento asfáltico sobre paralelepípedos. Houve boa relação linear em estruturas compostas por revestimento asfáltico mais delgado. Este estudo estimula o uso de equipamentos dinâmicos de ensaios não destrutivos para medição de deformações elásticas para o projeto de manutenção e reabilitação de vias de baixo volume de tráfego.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Roberto Rodrigues, Secretaria de Infraestrutura Urbana, Prefeitura Municipal de Joinville, Santa Catarina – Brasil

Possui graduação em Engenharia Civil (1996) e é Mestre (2018) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Área de concentração: Engenharia Urbana e da Construção Civil). Foi Professor Adjunto da Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE), no curso de Engenharia Civil, Campus de Joinville (2016-2018). Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Infraestrutura Urbana, atuando em projeto, execução e fiscalização de obras de drenagem e pavimentação asfáltica. Atualmente é Gerente da Unidade de Drenagem na Secretaria de Infraestrutura do Município de Joinville, onde pertence ao quadro de carreira.

Adriana Goulart dos Santos, Universidade do Estado de Santa Catarina, Santa Catarina – Brasil

É graduada em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Possui mestrado e doutorado em Engenharia de Transportes, pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é professora no Departamento de Engenharia Civil, no Centro de Ciências Tecnológicas da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Nos cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia Civil, atua na área de Infraestrutura de Transportes. Orienta trabalhos de conclusão de curso e dissertações de mestrado nos seguintes temas: Solo, Concreto e Materiais Alternativos, Dimensionamento de Pavimentos, Avaliação e Gestão de Pavimentos e Uso do Solo e Transportes.

Edgar Odebrecht, Universidade do Estado de Santa Catarina, Santa Catarina – Brasil

Possui graduação em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1985), mestrado em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1988) e doutorado em Engenharia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003). Atualmente é sócio gerente - Geoforma Engenharia LTDA e professor titular da Universidade do Estado de Santa Catarina. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Investigação Geotécnica, Fundações, Estabilidade de Taludes e Escavações. É coautor do Livro Ensaios de Campo Aplicada a Engenharia de Fundações da Editora Oficina de Textos. Atuou na Associação Brasileira de Mecânica dos Solos (ABMS) como presidente de núcleo regional por duas gestões; Secretário da diretoria Nacional também por duas gestões e atualmente é conselheiro na gestão 2017-2018.

Referências

Albernaz, C. A. V. (1997) Método simplificado de retroanálise de módulos de resiliência de pavimentos flexíveis a partir da bacia de deflexão. Dissertação (mestrado), COPPE–UFRJ, Rio de Janeiro.

AASHTO (1993) AASHTO Guide for Design of Pavement Structures. Vol. 1, American Association of State Highway, and Trans-portation Officials, Washington, D.C.

ASTM (2015) E2835-11 Standard Test Method for Measuring Deflections using a Portable Impulse Plate Load Test Device, American Society for Testing and Materials.

Benedetto, A.; F. Tosti e L. Di Domenico (2012) Elliptic model for prediction of deflections induced by a Light Falling Weight Deflectometer. Journal of Terramechanics, v. 49, n. 1, p. 1-12. DOI:10.1016/j.jterra.2011.10.003

Bernucci, L. B.; L. M. G. Motta; J.A.P. Ceratti e J.B. Soares (2007) Pavimentação Asfáltica: Formação Básica para Engenheiros. PETROBRAS/ABEDA, Rio de Janeiro.

Burhani, A. (2016) Correlation Study on the Falling Weight Deflectometer and Light Weight Deflectometer for the Local Pavement Systems. Master of Science. Faculty of the Russ College of Engineering and Technology of Ohio University, Ohio, EUA.

DER-SP (2006) IP-DE-P00/003 - Avaliação funcional e estrutural de pavimento. Instrução de Projeto. Departamento de Estradas e Rodagem, São Paulo, SP.

DIN (2001) 18134 Determining the deformation and strenght characteristics of soil by plate loading test. Deutsches Institut für Normung. Germany.

DNIT (2010) 133/2010 – Pavimentação asfáltica – Delineamento da linha de influência longitudinal da bacia de deformação por intermédio da Viga Benkelman – Método de ensaio. Diretoria de Planejamento e Pesquisa, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Rio de Janeiro, RJ.

Elhakim, A. F.; K. Elbaz e M. Amer (2014) The use of light weight deflectometer for in situ evaluation of sand degree of compaction. HBRC Journal, v. 10, n. 3, p. 298-307. DOI:10.1016/j.hbrcj.2013.12.003

Fleming, P. R.; M. W. Frost e J. P. Lambert (2007) Review of Lightweight Deflectometer for Routine In Situ Assessment of Pavement Material Stiffness. In Transportation Research Record: Journal of the Transportation Research Board, N° 2004, pp. 80–87. DOI:10.3141/2004-09

Fleming, P. R.; M.W. Frost e J. P. Lambert (2009) Lightweight Deflectometers for quality assurance in road construction. Bearing Capacity of Roads, Railways and Airfields: Proceedings of the 8th International Conference (BCR2A'09), University of Illinois at Urbana - Champaign, Champaign, Illinois, USA, pp. 809-818.

Francisco, A. (2012) Comportamento estrutural de pavimentos rodoviários flexíveis. Tese (Doutorado). Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Tecnologia e Gestão.

Garcia, J. A. R.; M. Castro (2011) Analysis of the temperature influence on flexible pavement deflection. Construction and Building Materials, n. 25, p. 3530-3539. DOI: 10.1016/j.conbuildamat.2011.03.046

Grasmick, J. G.; M A. Mooney; C. T. Senseney; R. W. Surdahl e M. Voth (2015) Comparison of Multiple Sensor Deflection Data From Lightweight and Falling Weight Deflectometer Tests on Layered Soil, Geotechnical Testing Journal, Vol. 38, No. 6, pp. 851–863. DOI:10.1520/GTJ20140172

Guimarães, O.R.; L. R. Rezende e M. T. Rocha (2015) Uso da Viga Benkelman para monitoramento de rodovias. Anais do 44 Reunião Anual de Pavimentação, RAPv, Foz do Iguaçu, PR.

Horak, E.; J. Maina; D. Guiamba e A. Hartman (2008) Correlation Study with lightweight Deflectometer in South Africa. Proc. 27th Southern African Transport Conference, Pretoria, South Africa.

Lopes, J. (2010) Contributo para o estudo da utilização do deflectómetro de impacto ligeiro. Dissertação (Mestrado). Instituto Superior Técnico, Lisboa.

Machado, A. B. A. S. (2012) Contribuição para a avaliação estrutural de infraestruturas rodoviárias por métodos não destru-tivos. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Ciências e Tecnologia. Universidade Nova de Lisboa.

Marecos, V.; M. Solla; S. Fontul e V. Antunes (2017) Assessing the pavement subgrade by combining different non-destructive methods. Construction and Building Materials, n. 135, p. 76–85. DOI: 10.1016/j.conbuildamat.2017.01.003

Montegomery, D. C.; C. G. Runger (2018) Estatística Aplicada e Probabilidade para Engenheiros. Rio de Janeiro, RJ. LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora. 6ª ed., 627 p.

Moraes, C. G. (2015) Análise de bacias deflectométricas obtidas por 4 equipamentos do tipo Falling Weight Deflectometer (FWD). Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Nazzal, M. D. (2003) Field evaluation of in-situ test technology for QC/QA during construction of pavement layers and em-bankments. Master's Theses. Louisiana State University.

Nazzal, M. D.; M. Y. Abu-Farsakh; K. Alshibli e L. Mohammad (2007) Evaluating the Light Falling Weight Deflectometer Device for In Situ Measurement of Elastic Modulus of Pavement Layers. Transportation Research Record, n. 2016, pp. 13–22. DOI:10.3141/2016-02

Rahimzadeh, H. B. e B. J. Martyn (2004) Performance Testing of Unbound Materials within the Pavement Foundation. Proc. 6th Unbound Aggregates in Roads Symposium (UNBAR6), Nottingham, UK.

Tholen, O.; J. Sharma e R. L. Terrel (1985) Comparison of Falling Weight Deflectometer with other Deflection Testing Devices. Transportation Research Record 1007. Transportation Research Board, Washington, D.C., pp 20 - 26.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Como Citar

Rodrigues, P. R., dos Santos, A. G., & Odebrecht, E. (2020). Avaliação do potencial de uso do deflectômetro de impacto leve para medidas de deflexão em pavimentos urbanos. TRANSPORTES, 28(5), 70–82. https://doi.org/10.14295/transportes.v28i5.2078

Edição

Seção

Artigos