Modelo de opções reais para avaliação de investimentos em novos portos e terminais portuários brasileiros

João Carlos Félix Souza, Carlos Henrique Rocha, João Gabriel de Moraes Souza

Resumo


O governo brasileiro identificou áreas para a instalação de novos portos e terminais portuários que serão concedidos, mediante aluguel, para a iniciativa privada. Esses empreendimentos têm grandes investimentos e apresentam incertezas quanto aos fluxos de caixa futuros. Os projetos com Valor Presente Líquido (VPL) negativo poderão se tornar rentáveis, desde que apareçam investidores interessados em pagar pelo direito de desenvolvê-los mais adiante. O valor do direito de desenvolver um empreendimento com VPL negativo, e que no futuro poderá se tornar rentável, pode ser apurado pela abordagem das opções reais. Este artigo traz uma aplicação de cálculo do valor da opção de esperar para investir em terminais portuários com VPL negativo. O valor da opção é calculado com o modelo Black-Scholes-Merton. Este valor representa o valor de licitação da espera. É recomendável que o edital de licitação contenha a memória de cálculo do valor da espera, minimizando a desconfiança quanto ao potencial da área licitada. Por fim, cabe dizer que é desnecessário fixar uma multa para o vencedor da licitação que abrir mão de empreender na data de vencimento da opção real, mesmo porque o valor pago pela opção, no ato de sua compra, o penaliza.


Palavras-chave


Terminais portuários, Concessão, Opções reais, Modelo Black-Scholes-Merton.

Texto completo:

PDF

Referências


Adetunji, O. M. A. A. Owolabi (2017) Real Options and Government Supports to Infrastrucutre Investments: An Empirical Study. Journal of Modern Accounting and Auditing, v. 13, n. 5, p. 196-215. DOI: 10.17265/1548-6583/2017.05.002

Amram, M. e Kulatilaka N. (1999). Disciplined Decisions – Aligning Strategy with the Financial Markets. Harvard Business Review, Jan-Feb, p. 95-104. DOI: 10.4236/wjcmp.2013.31007.

ANTAQ (2009) Subsídios técnicos para identificação de áreas destinadas à instalação de portos organizados ou autorização de terminais de uso privativo em apoio ao plano geral de outorgas. Brasília: Agência Nacional de Transportes Aquaviários.

Assaf Neto, A., Lima, F. G. e Araújo, A. M. P. (2008). Uma proposta metodológica para o cálculo do custo de capital no Brasil. Revista de Administração, v. 43, n.1, p. 72-83. http://www.spell.org.br/documentos/ver/4402/uma-proposta-metodologica-para-o-calculo-do-custo-de-capital-no-brasil/i/pt-br (Link Permanente).

Badaiya, T. K. N. e A. L. Castro (2001) Convergência dos Modelos de Árvores Binomiais para Avaliação de Opções. Pesquisa Operacional, v. 21, n. 1, p. 17-30. DOI: 10.1590/S0101-74382001000100002.

Bailey, D. e G. Solomon (2004). Pollution prevention at ports: clearing the air. Environmental Impact Assessment Review, v. 24, n. 7-8, p. 749-774. DOI: 10.1016/j.eiar.2004.06.005.

Black, F. e M. Scholes (1973). The pricing of options and corporate liabilities. Journal of Political Economy, v. 81, p. 637-659. DOI: 10.1086/260062.

Blank, F. F. (2008) Teoria de Opções reais em Project Finance e Parceria Público-Privada: Uma Aplicação em Concessões Rodoviárias. Dissertação de Mestrado em Engenharia Industrial, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Boer, E. e G. Verbraak (2010) Environmental impacts of international shipping: a case study of the port of Rotterdam. Paris: OCDE.

Bowe, M. e D.L. Lee (2004) Project evaluation in the presence of multiple embedded real options: evidence from the Taiwan High-Speed Rail Project. Journal of Asian Economics, v. 15, n. 1, p. 71-98. DOI: 10.1016/j.asieco.2003.12.001.

Brandão, L.; C. Pinto; I. Gomes e M. Salgado (2012) Incentivos Governamentais em PPP: Uma análise por opções reais. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 52, n. 1, p. 10-23. DOI: 10.1590/S0034-75902012000100002.

Brandão, L e E. Saraiva (2007) Risco privado em infraestrutura pública: uma análise quantitativa de risco como ferramenta de modelagem de contratos. RAP – Revista de Administração Pública, v. 41, n. 6, p. 1035-1067.

Cheah, C e J. Liu (2006) Valuing governmental support in infrastructure projects as real options using Monte Carlo simula-tion. Construction Management & Economics, v. 24, p. 545-554. DOI: 10.1080/01446190500435572.

Copeland, T. e V. Antikarov (2001) Opções reais: um novo paradigma para reinventar a avaliação de investimentos. Rio de Janei-ro, Editora Campus.

Cox, J. C., S. A. Ross e M. Rubinstein (1979) Option pricing: a simplified approach. Journal of Financial Economics, v. 7, p. 229-263. DOI: 10.1016/0304-405X(79)90015-1.

Dias, M. A. G. (2014). Análise de investimentos com opções reais: conceitos básicos e opções reais em tempo discreto. Rio de Janei-ro, Editora Interciência.

Dixit, A. e R. Pindyck (1994) Investment under uncertainty. New Jersey, USA: Princeton University Press.

Frischtack, C. R. (2012) Infraestrutura e Desenvolvimento no Brasil. IBRE-FGV.

Hull, J. (2005) Fundamentos dos mercados futuros e de opções. São Paulo, Editora BM&F.

Huisman, K. (2000) Technology Investment: A Game Theoretic Real Options Approach. Thesis Phd in Economics, Department of Econometrics, Center Dissertation Series – Center for Quantitative Methods in Eindhoven, Tilburg University.

Ingersoll, J. e S. Ross (1992) Waiting to Invest: Investment and Uncertainty. Journal of Business, v. 65, p. 1-30.

Lagoudis, I. N.; JR. J. B. Rice e J. B. Salminen (2014) Port Investment Strategies under Uncertainty: The Case of a Southeast Asian Multipurpose Port. The Asian Journal of Shipping and Logistics. v. 30, n. 3. December, p. 299 – 319. DOI: 10.1016/j.ajsl.2014.12.003.

Godinho, P. (2006). Monte Carlo Estimation of Project Volatility for Real Options Analysis. Journal of Applied Finance, spring/summer, p. 7 -22.

McDonald, R. L. e D. Siegel (1986) The value of waiting to invest. Quarterly Journal of Economics, v. 4, p. 707-727. DOI: 10.2307/1884175.

McGahan, A. M. (1993) The Effect of Incomplete Information About Demand on Preemption, International Journal of Industri-al Organisation, v. 11, n.3, p. 327-346. DOI: 10.1016/0167-7187(93)90013-3.

Mendonça, C. L. (2014) Teoria das Opções reais: Aplicação e Parcerias Público Privado (PPP), um estudo de caso em sistemas metroviários. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Merton, R. (1973) Theory of rational option pricing. Bell Journal of Economics and Management Science, v. 4, p. 141-183. DOI: 10.2307/3003143.

Meyer, P. (1975) Probabilidade: aplicações à estatística. Livros Técnicos e Científicos, Rio de Janeiro, Editora LTC.

Oliveira, R. M. V. (2013) Contribuição da Análise de Opções reais na Avaliação de Projectos de Investimento. Dissertação de Mestrado em Finanças Empresariais – Faculdade de Economia, Universidade do Algarve.

Paxson, D. (2003) Real R&D Options: Theory, Practice and Implementation. Editor Dean Paxson.

Pereira, P.; A. Rodrigues e M. Armada (2006) The Optimal Timing for the Construction of an International Airport: a Real Options Approach with Multiple Stochastic Factors and Shocks. Real Options 10th Annual International Conference – New York, 2006.

Pimentel. P. (2009) Avaliação do Investimento na Alta Velocidade Ferroviária. Tese de Doutorado em Economia e Gestão – O Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade de Lisboa.

Pimentel, P. M.; M. Azevedo-Pereira e Couto, G. (2012) High-speed rail transport valuation. The European Journal of Finance, v. 18, n. 2, p. 167-183. DOI: 10.1080/1351847X.2011.574984.

Pindyck, R. (1991) Irreversibility, Uncertainty, and Investment. Journal of Economic Literature, v. 29, n. 3, p. 110-1148. DOI: 10.3386/w3307.

Porter, M. E. (1992) Capital disavantage: America´s failing capital investment system. Harvard Business Review, v. 70, n. 5, p. 65-82.

Rocha, C. H. e P. A. P. Britto (2015) New Brazilian ports and port terminals, project finance and concession pricing model. Latin American Business Review, v. 16, n. 2, p. 127-141. DOI: 10.1080/10978526.2015.1045812.

Rose, S. (1998) Valuation of interacting real options in a tollroad infrastructure project. The Quarterly Review of economics and Finance, v. 38, n. 3, p. 711-723. DOI: 10.1016/S1062-9769(99)80098-2.

Ross, S. (1995) Uses, Abuses, and Alternatives to the Net-Present-Value Rule. Financial Management, v. 24, n. 3, p. 96-102. http://www.jstor.org/stable/3665561 (Link Permanente). DOI: 10.2307/3665561.

Ross, S. A.; R. W. Westerfield; J. F. Jaffe e R. Lamb (2015) Administração financeira: corporate finance. Porto Alegre: Bookman.

Schwartz, E. e , L. Trigeorgis (2001) Real options and investment under uncertainty. The MIT Press, Massachusetts, USA.

Smit, H. (2003) Infrastructure Investment as Real Options Game: The Case of European Airport Expansion. Financial Man-agement, v. 32, n. 4, p. 27-57. DOI: 10.2307/3666135.

Taneja, P., M. E. Aartsen, J. A. Annema, M. van Schuylenburg (2010) Real Options for Port Infrastructure Invesments. Shenzhen, China. Infrastructure Systems and Services: Next Generation Infrastructure Systems for Eco-Cities (INFRA), 2010 Third International Conference – Shenzhen/ China, 2010.

Titman, S. e J. D. Martin (2010) Avaliação de projetos e investimentos. Editora Bookman, Porto Alegre.

Tosi, A. J. (2015). Matemática financeira: com ênfase em produtos bancários. São Paulo, Atlas.




DOI: https://doi.org/10.14295/transportes.v26i4.1497

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 João Carlos Félix Souza, Carlos Henrique Rocha, João Gabriel de Moraes Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

TRANSPORTES (ISSN: 2237-1346) é uma publicação da ANPET - Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes (www.anpet.org.br)

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.